Após sete anos, Maringá Vôlei fecha as portas e deixa vazio para grande torcida

Depois de sete anos consecutivos disputando a Superliga, o Maringá Vôlei, que iniciou no campeonato como Moda Maringá, depois Ziober Maringá Vôlei, vestiu a camisa da Copel Telecom em alguns anos e por último foi Denk Maringá, anunciou o encerramento dos trabalhos e a entrega da vaga na edição 2020/2021. O levantador e campeão olímpico, Ricardinho, lamentou a falta de apoio para continuidade do projeto.

“Somos gratos pela oportunidade, mas infelizmente em um campeonato formado por gigantes, não tivemos o suficiente para brigar de igual pra igual. Fizemos bonito, chegamos a sexta posição no primeiro ano de projeto, e os outros dois tivemos uma boa atuação. Porém, sem patrocinadores, as edições seguintes, foram marcadas por lutas constantes em busca de apoio da iniciativa privada e dos governos municipal e estadual”, disse Ricardinho, que relembrou tristemente que o time levou o título de maior torcida do Brasil em todos os anos e lotou, por diversas vezes, o ginásio Chico Neto.

Campeão Paranaense em 2019, o Denk Maringá havia formado um elenco interessante para encarar a temporada, mas atrasos de salários e problemas junto a apoiadores resultaram na saída de inúmeros jogadores em meio a Superliga. O próprio Ricardinho precisou retornar as quadras para completar o número mínimo de atletas, enquanto os que ficaram se esforçaram muito, como o caso do central Gabriel Bertolini, que foi alçado a oposto, e por ter se destacado acabou anunciado recentemente pelo Vôlei UM Itapetininga.

Quanto ao voleibol paranaense, o Caramuru Vôlei acabou confirmado na Superliga 2020/2021, sendo que após conversas e reuniões conseguiu a assinatura de todos os jogadores da temporada passada para garantir o fair play. Após disputar a última Superliga C, ainda não se sabe se a ASPMA/Araucária/Berneck entrará em quadra na competição deste ano. Já a AVP/Palmas, em nota oficial, já anunciou que está fora de qualquer torneio em 2020. Toledo, Foz do Iguaçu e São José dos Pinhais estiveram na disputa do Paranaense em 2019 e também só devem reaparecer no cenário adulto em 2021.

Confira o que sabemos sobre os jogadores que deixaram o Maringá Vôlei:

Lucas Bermudez(levantador/futuro indefinido); Everaldo (levantador/futuro indefinido); Lucas Borges (oposto/Montes Claros América Vôlei); Rodrigo Telles (oposto/Vedacit Vôlei Guarulhos); Raphael Marcarini (ponteiro/ Vôlei UM Itapetininga); Juninho (ponteiro/futuro indefinido); Renato Pato (ponteiro/Apan Blumenau); Gabriel Andrade (ponteiro/ Sporting Clube de Espinho, de Portugal); Alê Monteiro (ponteiro/Apan Blumenau); Victor Hugo (central/Sporting Clube, de Portugal); Rômulo (central/Azulim/Gabarito/Uberlândia); Daniel Rossi (líbero/futuro indefinido) e Fabio Paes (líbero/futuro indefinido)

foto: Fernando Tanaka Fotografia

Comentários