(Superliga B) Apav Vôlei é superada pelo Uberlândia/Gabarito no tie-break

Em duelo válido pela 6ª rodada da Superliga B, a Apav Vôlei acabou superada pelo Uberlândia/Gabarito/Start Química por 3 sets a 2, parciais de 22/25, 25/23, 21/25, 25/22 e 14/16, no ginásio La Salle. Com o resultado, o time mineiro chegou aos 11 pontos e aparece na 3ª colocação, enquanto a equipe gaúcha continua na 6ª posição, com sete pontos ganhos. 

O Uberlândia/Gabarito mostrou pode de reação no primeiro set, quando saindo de um placar de cinco pontos de diferença, virou a parcial e venceu por 23 a 25. Com o ginásio La Salle praticamente lotado, os gaúchos foram para cima e devolveram o mesmo placar no segundo set, empatando o jogo em 1 a 1. No terceiro set, os visitantes impuseram um ritmo forte, principalmente no ataque, com destaque para o ponta Brigmann (que jogou de oposto) e venceram por 21 a 25. 

No quarto set parecia que o time mineiro, que abriu uma frente de quatro pontos, ia fechar o jogo. Apenas parecia, pois a Apav Vôlei correu atrás, virou o duelo e fechou a parcial em 25 a 23. No tié-break, o time mineiro abriu 8 a 5, mas com alguns lances da arbitragem, muito reclamados pela comissão técnica do time mineiro, o jogo ficou emocionante e no final, com ataque colocado do ponteiro Yudi, o Uberlândia/Gabarito venceu por 14 a 16.

“Essa Superliga B está muito disputada. Sabemos a importância de cada ponto conquistado. O time da Apav Vôlei é parelho com o nosso e já esperávamos uma partida difícil e equilibrada. Eu sou um jogador mais de preparação e preciso do apoio de todos os companheiros. Esse troféu é graças a eles”, disse o ponteiro Yudi.

“Sabíamos que seria uma partida muito dura, pois o Uberlândia é uma bela equipe e está brigando pelas primeiras posições (terceira colocada). Mas fizemos a nossa parte com o que tínhamos. Fizemos um baita jogo, com alguns errinhos, que fazem parte do processo. Saímos de cabeça erguida”, destacou Gustavo Endres, auxiliar técnico e gestor esportivo da única equipe gaúcha atuando em âmbito nacional. 

“Em função das lesões estamos tendo que adaptar algumas situações. Mas não quero colocar como desculpa ou lamentar. Muito pelo contrário. O time mostrou força e aguerrimento. Também que o grupo é forte, mas que ainda faltam algumas coisas para que se engrene em função da pouca rodagem e idade deles”, destacou o treinador Marcelinho Ramos, que iniciou o confronto com Matheus como levantador no lugar do capitão Vitor Gelli, além do ponteiro Thiago atuando como líbero. 

As duas equipes voltam a quadra no próximo sábado. O Uberlândia/Gabarito/Start Química encara o São José Vôlei, às 17h, no ginásio do UTC, enquanto a Apav Vôlei volta a jogar contra o Anápolis Vôlei, às 17h, no ginásio Newton de Faria. 

foto: Pérsio Ciulla/TXT Sports

Comentários