(Sul-Americano) De virada, Sada/Cruzeiro vence EMS Taubaté/Funvic e vai a final

O ginásio do Riacho, em Contagem, recebeu na noite de sexta-feira, um confronto digno de uma semifinal do Campeonato Sul-Americano de Clubes. Após muita disputa, o Sada/Cruzeiro, de virada, levou a melhor sobre o EMS Taubaté/Funvic com um placar de 3 sets a 2, parciais de 23/25, 25/16, 21/25, 25/23 e 15/13. Com isso, o time comandado por Marcelo Mendez vai em busca do hepta, enfrentando na decisão os argentinos da UPCN. 

O primeiro set começou bem equilibrado com as duas equipes buscando forçar o saque. O EMS Taubaté Funvic fez um set muito bom, com o saque forçado imprimindo pressão sobre a recepção do Sada Cruzeiro. O time mineiro se manteve sempre próximo no placar e, com boas passagens pelo saque, chegou a liderar em alguns momentos. O Taubaté manteve o jogo agressivo e de ótimo aproveitamento nas bolas de ataque. O sistema defesa/bloqueio trabalhou bem e as bolas de contra-ataque também fizeram a diferença. O Sada/Cruzeiro errou mais saques nos momentos decisivos e o Taubaté venceu por 25 a 23. 

O segundo set seguiu bem equilibrado e com momentos de tensão. O Sada Cruzeiro voltou melhor e teve um ótimo aproveitamento no saque forçado. O Taubaté não conseguiu repetir a mesma efetividade defensiva e o time mineiro abriu vantagem confortável no placar. Errando mais, os taubateanos não conseguiram equilibrar as ações e o Sada fechou em 25 a 16. 

O terceiro set foi de superioridade do Taubaté desde o começo. Com uma ótima sequência do oposto Leandro Vissotto no saque, o time taubateano chegou a abrir 9 a 2. O Taubaté manteve um jogo agressivo e tentou administrar a vantagem. O Sada Cruzeiro cresceu no set apostando no saque forçado, complicando a recepção e o passe do Taubaté. O time taubateano cresceu nos momentos decisivos e conseguiu fechar em 25 a 21, passando novamente à frente. 

O quarto set começou com o Taubaté melhor em quadra, sacando forçado e dificultando a recepção do Sada. O time da casa equilibrou as ações também com ótima efetividade no saque, forçando erros da recepção do Taubaté. O set se desenvolveu em uma batalha de saques, forçados e táticos, e seguiu equilibrado até o final. Errando menos nos momentos decisivos, o Sada Cruzeiro venceu por 25 a 23, empatando o jogo e levando a decisão para o tie-break. 

O quinto e decisivo set seguiu no mesmo ritmo equilibrado e tenso dos demais sets. O Taubaté buscou mais o saque forçado, e cometeu mais erros no serviço. O ponteiro Lucarelli foi o destaque taubateano, sendo bastante acionado e virando bolas importantes. Mas o Sada Cruzeiro seguiu com ótimo aproveitamento no saque e também na defesa. O time mineiro cresceu na reta final do tie-break e fechou em 15 a 13. 

“Foi uma semifinal muito emocionante. Começamos mal no jogo, mas nos superamos. E acho que uma vitória de virada tem um gosto ainda melhor. Estamos muito felizes com este resultado e agora já é começar a trabalhar pensando na final”, avaliou o técnico Marcelo Mendez. 

“Estou muito feliz porque, mesmo não jogando o nosso melhor jogo, conseguimos ter paciência, manter a cabeça ligada na partida para nos recuperar. No terceiro set, um momento difícil, com 10 pontos de diferença e pouco a pouco voltamos ao jogo, voltamos a jogar bem. E isso é o mais importante, acho que essa é uma característica do nosso time nesta temporada: nos momentos difíceis conseguimos manter a cabeça no lugar e confiar no nosso potencial. Temos muitos jogadores excelentes, se alguém precisa sair, entra alguém que joga bem. É uma força do nosso time. Estou muito feliz porque conseguimos chegar em mais uma final, o era o nosso objetivo. E agora é final, tudo pode acontecer, mas estou muito feliz de fazer parte deste time”, destacou o ponteiro Facundo Conte, maior pontuador em quadra com 18 acertos. 

Presente em todas as finais de Sul-Americano que disputou, o Sada/Cruzeiro é o maior campeão da história, com seis títulos. O hexacampeonato dos cruzeirenses foi conquistado em 2012, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019, além da prata em 2015, na Argentina. Na final deste ano, a Raposa enfrentará a UPCN, que também chega invicta e bateu na semifinal o Bolívar Volley por 3 sets a 1, parciais de 23/25, 25/21, 24/26 e 22/25. 

A decisão entre Sada/Cruzeiro e UPCN está marcada para às 21h30min, com transmissão do SporTV 2. 

foto: agênciai7/Sada Cruzeiro

Comentários