(Superliga) Sesc-RJ impõe seu jogo e derrota Pacaembu/Ribeirão Preto

Jogando no ginásio do Tijuca Tênis Clube, o Sesc-RJ derrotou o Pacaembu/Ribeirão Preto por 3 sets a 0, parciais de 25/13, 25/15 e 26/24, pela 11ª rodada da Superliga 2019/2020. Desde o início, os comandados de Giovane Gavio mostraram sua força e não deram chances ao adversário, que errou demais, principalmente no inicio da partida. Com o resultado, os cariocas chegaram aos 24 pontos, e seguem na 4ª colocação, enquanto o Cavalo parou nos 10 pontos e ficou sem a vaga na Copa Brasil.

Dominante, o Sesc-RJ impôs seu ritmo de jogo desde os pontos iniciais. Com um saque agressivo, a equipe carioca desmontou a recepção do Pacaembu/Ribeirão Preto facilitando as ações de bloqueio e defesa. Sentindo a pressão do Sesc-RJ, a equipe do interior paulista abusou dos erros e foi superada no primeiro set por 25 a 13.

No segundo set, o Sesc-RJ manteve o mesmo ritmo no saque e, com destaque para Alexandre Elias, seguiu com ótimo aproveitamento na defesa. O bloqueio foi outro fundamento que se destacou na equipe carioca durante a segunda parcial. Com ampla vantagem no placar, o levantador Marlon imprimiu muita velocidade ao jogo carioca, e o Sesc-RJ fechou o set em 25 a 15.

No terceiro set o Sesc-RJ manteve a vantagem do placar. Com excelência em todos os fundamentos, a equipe carioca jogou forçando os erros adversários e com tranquilidade chegou ao match point em 24 a 21. Em um último suspiro, a equipe de Ribeirão Preto emplacou 3 ótimos saques e igualou o placar. Mas, o Sesc-RJ teve calma para retomar a vantagem e fechar em 26 a 24.

“Hoje tivemos uma boa atuação, mas ainda estamos em busca de manter um padrão de jogo e evoluir em cima disso. Tivemos um ganho de parte física importante durante esses dias, chegamos um pouco presos fisicamente, mas em condição de fazer um bom jogo. Foi um período muito importante para a gente se preparar para a sequência de partidas que teremos daqui para a frente. O saque hoje funcionou bem, mas é um fundamento que ainda precisamos melhorar. Estávamos com isso na cabeça, porque a gente vai equilibrar mais os jogos a partir de um saque eficiente. Agora é crescer ainda mais a cada partida”, disse o levantador Marlon.

“Eu estou gostando muito de estar neste time e na Superliga brasileira. É um nível muito exigente para mim, então é importante estar buscando sempre o máximo. O time vem crescendo e sabemos que podemos fazer ainda melhor. Estou feliz de estar aqui e quero continuar evoluindo junto com todos. Conseguimos fazer um primeiro set em alto nível e mantivemos isso. Foi importante para começar bem o ano”, afirmou o ponteiro Jan Martinez.

“Fizemos os três sets muito mal, diante de um time forte com um levantador que joga muito rápido. Tínhamos que pelo menos sacar bem, mas nosso time não conseguiu se apresentar bem nos fundamentos, principalmente no ataque. Temos outra pedreira no sábado que é o Sada/Cruzeiro e precisamos juntar os cacos porque hoje jogamos muito abaixo”, afirmou o líbero Serginho.

As duas equipes voltam a quadra no próximo sábado. O Sesc-RJ encara o América Vôlei, às 19h, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, enquanto o Pacaembu/Ribeirão Preto enfrenta o Sada/Cruzeiro, às 17h, no ginásio do Riacho.

Equipes:

Sesc-RJ: Marlon Wallace, Maurício Borges, Jan Martinez, Flávio, Gustavão e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Matias Sanches, Daniel e Alexandre Elias
técnico: Giovane Gavio

Pacaembu/Ribeirão Preto: Pedro Telles, Caio Oliveira, Yago, Rodrigo Leandro, Wennder, Biella e Serginho (líbero)
entraram: Luisinho, Kerber, Vitor Baesso, Gabriel França, Diego e Judson
técnico: Marcos Pacheco

foto: Marcio Mercante/Sesc-RJ

Comentários