(Copa do Mundo) Campanha invicta e mais um título do Brasil

O Brasil é campeão da Copa do Mundo 2019 de forma invicta. O título já estava garantido desde quando a Seleção Brasileira derrotou o Japão, na segunda-feira, e foi campeão com uma rodada de antecedência, mas, ontem, a equipe comandada pelo técnico Renan assegurou sua décima primeira vitória na competição e garantiu, assim, a medalha de ouro sem perder nenhum jogo. Na última rodada, o time verde e amarelo derrotou a Itália por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/22 e 25/15, em Hiroshima, no Japão. 

Para ser campeão, o Brasil derrotou as seleções do Canadá, a Austrália, o Egito, Rússia e Irã na cidade de Nagano, também no Japão. A equipe, então, mudou de sede e, em Hiroshima, bateu a Argentina, os Estados Unidos, Tunísia, a Polônia, o Japão e, hoje, a Itália. O grupo brasileiro somou 32 pontos na Copa do Mundo, deixando a Polônia em segundo lugar e os Estados Unidos em terceiro. 

A seleção do campeonato contou com três jogadores brasileiros: o central Lucão, o líbero Thales e o oposto Alan, que foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo. Após a premiação, o jovem atacante de 25 anos comemorou, mas afirmou ainda não ter se dado conta de tudo que vem acontecendo com a sua carreira. 

“A ficha ainda não caiu. É o meu primeiro ano aqui na seleção e já consegui conquistar bastante coisa. Para mim está sendo muito importante toda essa experiência e estar com todo esse pessoal que é extremamente importante dentro do voleibol, que fez e ainda faz história. Estou muito contente com esse campeonato que eu fiz, com o Sul-Americano também e com tudo que espero que ainda aconteça pela frente”, disse Alan, que também foi o MVP do Sul-Americano. 

“Estou muito feliz com a conquista do campeonato. Neste último dia, tínhamos um jogo difícil e era difícil encontrar a forma justa de entrar em quadra no dia seguinte em que já sabíamos que éramos campeões”, comentou o treinador Renan, que complementou. 

“Esse não o Brasil decidiu focar em duas competições: o Pré-Olímpico, onde conquistamos a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio, e a Copa do Mundo, que fomos campeões. Nas outras competições demos espaço para os mais jovens porque era necessário manter a renovação, que começamos no ano passado”, explicou Renan. 

foto: FIVB/Divulgação

Comentários