(Superliga) Sesi-SP supera, de virada, Sesc-RJ e abre 2 a 0 na série semifinal

Em duelo disputadíssimo no ginásio do Tijuca Tênis Clube, o Sesi-SP venceu, de virada, o Sesc-RJ por 3 sets a 2, parciais de 21/25, 25/19, 25/19, 22/25 e 10/15, pelo segundo jogo da semifinal da Superliga 2018/2019. Com o resultado, o clube paulistano abriu 2 a 0 na série melhor de três partidas e pode garanti vaga na decisão caso vença no próximo sábado, às 19h, no ginásio da Vila Leopoldina. 

O Sesc-RJ começou melhor, pressionando no saque a abrindo 4 a 2. No bloqueio do ponteiro Penchev, os donos da casa fizeram 7 a 4, obrigando Rubinho a parar o jogo. A conversa deu certo, pois o Sesi-SP voltou com outra postura e no bloqueio de Alan deixou tudo igual: 8 a 8. Em dois erros de ataque seguidos dos cariocas, os visitantes viraram 10 a 12 e na sequência ampliaram a vantagem no ace de William: 15 a 20. No final, os donos da casa esboçaram uma reação, mas com erros seguidos viram o Sesi-SP fechar em 21 a 25. 

Embalado pela vitória na parcial anterior, o Sesi-SP voltou para o segundo set mostrando um bom volume de jogo e na distribuição de William fez 6 a 9. Entretanto, na força e talento do oposto Wallace, o Sesc-RJ foi para cima e conseguiu a virada logo na sequência: 10 a 9. O que se via era um duelo bem equilibrado, mas com os times errando muitos saques. Com a entrada de Aracaju, os cariocas cresceram e fizeram 20 a 18. Logo depois, os paulistas continuaram errando e na pancada de Wallace, os donos da casa fecharam em 25 a 19. 

Assim como no set passado, o Sesi-SP começou melhor, abriu 6 a 9, mas logo o Sesc-RJ se encontrou em quadra e voltou a liderar o placar após ace de Wallace: 12 a 11. Com grande atuação ofensiva, os comandados de Giovane Gavio foram abrindo vantagem no placar, tanto que no ponto de Maurício Borges o marcador era de 17 a 13. Com certa tranquilidade, os cariocas foram administrando o resultado: 20 a 14 e após um novo ace de Wallace fecharam em 25 a 19. 

No quarto set, o equilíbrio foi evidente desde o início do confronto. O Sesc-RJ apostava nas jogadas com Wallace e no desempenho do saque, enquanto o Sesi-SP tinha nos ponteiros Lucas Loh e Lipe seus principais jogadores na parcial. Na reta final do período, quando ninguém conseguia abrir mais do que dois pontos, o oposto Franco entrou em quadra e mudou a cara do jogo. Após um ace de Éder: 19 a 20, os paulistas dominaram as ações e fecharam em 22 a 25. 

No tie-break, o Sesi-SP largou na frente e abriu 0 a 2. O Sesc-RJ foi buscar, mas o time visitante se mostrou mais atento e conseguiu segurar a pressão do adversário. Com William no saque, os paulistas abriram 5 a 9 em momento decisivo, encaminhando a vitória. O técnico Giovane Gavio ainda tentou arrumar o time, mas sem sucesso e os visitantes acabaram fecharam o duelo em 10 a 15. 

“Em primeiro lugar, quero agradecer muito a quem votou em mim e pedir desculpas por não ter ficado com o VivaVôlei, mas achei que a entrada do Franco foi fundamental para a nossa vitória. Ele entrou e fez a diferença mesmo, virou bolas difíceis e importantes e mereceu o prêmio. Talvez se tivesse mais tempo de votação, o percentual ia mudar e esse troféu já iria para ele”, comentou Lucas Lóh, que entregou o prêmio ao oposto do seu time. 

“Foi uma importante vitória. A única certeza que tínhamos era que o jogo de hoje ia ser mais difícil do que o primeiro. O resultado era indefinido. Agora temos essa vantagem que criamos durante todo o campeonato de poder decidir em casa. Não tem nada garantido. São duas vitórias que podem se tornar uma virada espetacular do Sesc RJ, que é um grande time. Então, temos que estar nem focados para esse jogo em casa”, concluiu Lucas Lóh. 

“Jogamos bem o segundo e o terceiro sets e no quarto cometemos seis erros e, nesse nível, acabamos pagando um preço por isso. Tivemos a chance de matar o jogo no quarto set e não aproveitamos. O Sesi-SP fez mudanças, o Franco entrou bem e o Renato deu um equilíbrio maior no passe. No tie-break cometemos muitos erros, principalmente em recepção. Saímos daqui com a sensação que podíamos ter ganho e agora vamos ter que ir buscar o resultado em São Paulo”, disse o técnico Giovane Gavio. 

Equipes:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Wallace, Penchev, Maurício Borges, Tiago Barth, Maurício Souza e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Aracaju, Djalma, Japa e PV
técnico: Giovane Gávio

Sesi-SP: William, Alan, Éder, Gustavão, Lipe, Lucas Lóh e Murilo (líbero)
entraram: Barreto, Pureza, Franco e Renato.
técnico: Rubinho

foto: Erbs Jr

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Apan/Blumenau contrata Thiago Alves e confirma sete renovações

CBV divulga tabela oficial da Superliga B com estreia no dia 24 de janeiro

(Paulista) Sesi-SP estreia contra a Climed/Atibaia nesta quarta-feira