(Superliga) Sesc-RJ faz grande jogo, bate Fiat/Minas e é o primeiro semifinalista

Mesmo jogando na Arena Minas, em Belo Horizonte, o Sesc-RJ não se intimidou e venceu o Fiat/Minas por 3 sets a 0, parciais de 19/25, 19/25 e 22/25, pelo segundo jogo das quartas de final da Superliga 2018/2019. Com o resultado, os cariocas fecharam a série melhor de três em 2 a 0 e estão classificados para as semifinais, onde esperam o vencedor do confronto entre Sesi-SP e Vôlei UM Itapetininga. 

Nos primeiros instantes da partida, as equipes trocaram pontos em quadra. Pelo Fiat/Minas, Marlon trabalhou bem com Flávio nas bolas pelo meio, enquanto pelo Sesc-RJ o oposto Wallace foi o destaque. Com bom aproveitamento no bloqueio, o time carioca passou à frente no placar. Pelo Fiat/Minas, alguns erros de ataque complicaram ainda mais a equipe. No fim, vitória dos cariocas por 19 a 25. 

Embalado, o Sesc-RJ voltou melhor para o segundo set. O time visitante abriu vantagem ainda no início da parcial. O Fiat/Minas reagiu e chegou a encostar no placar. Mas, os cariocas, com destaque para Maurício Borges e Wallace, não se abateram e retomaram o controle do jogo. Thiaguinho distribuiu bem as jogadas com os seus atacantes, e o Sesc-RJ fez novamente 19 a 25. 

Precisando da vitória, o Fiat/Minas começou bem o terceiro set. Em uma sequência de bloqueios em Wallace, o time minastenista assumiu a liderança do placar. No embalo da torcida, a equipe equilibrou forças com o Sesc-RJ e a partida ficou emocionante. A cada ponto, muita vibração em quadra. O jogo seguiu bem disputado até os instantes finais, quando o ataque do Sesc-RJ explorou bem o bloqueio e abriu vantagem. No fim, no ataque de Maurício Borges, o time carioca fechou o set em 22 a 25. 

“O primordial nesse time é o nosso grupo, que é muito forte. Nossa amizade dentro da quadra surte efeito em termos de jogo e acredito que esse seja o nosso diferencial. Com isso, o resto vai saindo como consequência. O nosso jogo tático funcionou bem e deu tudo certo”, afirmou o ponteiro Maurício Borges. 

“Erramos muito menos do que eles e isso fez diferença. Nosso sistema ofensivo funcionou muito bem e isso dá um peso enorme para o nosso lado. Estamos em uma crescente, depois de um período de altos e baixos, e agora a tendência é crescer cada vez mais”, analisou o oposto Wallace, que anotou 20 pontos na partida. 

“A equipe de lá esteve muito bem equilibrada em todos os fundamentos e, além disso, o Wallace faz a diferença. É incrível como ele mantém o padrão de eficiência. Nossa equipe pecou um pouco e eles conseguiram abrir nos finais do set. Mas, esse é um baita aprendizado para essa equipe jovem e, para mim, foi um ano de experiência e amadurecimento. Para todos nós foi de grande valia enfrentar grandes jogadores como os do Sesc-RJ”, destacou o levantador Marlon. 

“Esse momento é muito difícil, porque nossa equipe se despede da temporada e da Superliga. E a gente se despede do que a gente ama fazer. Eu fico emocionado, porque abrimos mão de muita coisa para fazer valer a pena e, hoje, infelizmente, não conseguimos e estamos nos despedindo. Difícil fazer uma análise agora, eu fico com o coração na mão mesmo, porque isso tudo aqui é a nossa vida”, disse o central Flávio. 

Equipes:

Fiat/Minas: Marlon, Felipe Roque, Honorato, Bob, Flávio, Matheus Bispo e Maique (líbero)
entraram: Rogerinho, Davy, Carísio e Piá.
técnico: Nery Tambeiro

Sesc-RJ: Thiaguinho, Wallace, Japa, Maurício Borges, Tiago Barth, Maurício Souza e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Alexandre Elias, PV e Djalma
técnico: Giovane Gávio

foto: Orlando Bento/MTC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Apan/Blumenau contrata Thiago Alves e confirma sete renovações

CBV divulga tabela oficial da Superliga B com estreia no dia 24 de janeiro

(Paulista) Sesi-SP estreia contra a Climed/Atibaia nesta quarta-feira