(Superliga B) Lavras Vôlei e JF Vôlei decidem último semifinalista

Fechando as quartas de final da Superliga B, Lavras Vôlei e JF Vôlei se enfrentam, neste sábado, às 20h, no ginásio da UFLA. Cada equipe ganhou um jogo da série melhor de três e quem vencer agora assegura vaga na semifinal, onde enfrentará o Botafogo. A outra semifinal já está definida e coloca frente à frente Apan/Blumenau e Anápolis Vôlei. 

Após vencer em Juiz de Fora por 3 sets a 1, o Lavras Vôlei acabou superado por 3 sets a 0 dentro de seus domínios. Apesar da derrota, ninguém na equipe do técnico Henrique Furtado mostra frustração, já que o time apresentou alguns pontos favoráveis na partida anterior. Por outro lado, todos entendem que faltou alguns detalhes e um ajuste maior em alguns fundamentos para o resultado positivo aparecer em quadra. 

“Para vencermos esse jogo, precisamos jogar muito bem no nosso sistema ofensivo, que foi uma característica que prevaleceu e fez diferença durante o campeonato. Nosso sistema de saque e ataque precisa voltar a dar lucro, como em outros jogos”, disse o técnico Henrique Furtado, que também comentou sobre como seu time tem que se comportar para assegurar a classificação. 

“É preciso agredir e tirar o passe da mão do levantador. Começa com um crescimento no saque, no ataque e acredito que se evoluirmos nesses dois fundamentos teremos mais condições de buscar a vitória. O time deles evoluiu muito e, sem dúvida nenhuma, será o confronto mais difícil do campeonato. Estamos muito focados em melhorar alguns pontos chaves para que amanhã o resultado possa ser outro”, disse Henrique Furtado. 

Do lado do JF Vôlei, o treinador Marcos Henrique sabe que seu time não terá facilidades, mas está empenhado em deixar o grupo preparado para esse decisivo duelo. A vitória na última quinta-feira deu um ‘gás’ ao elenco, que não tinha vencido nenhuma partida contra o adversário na temporada. Estando a uma vitória da semifinal, ninguém duvida do potencial do jovem time da Zona da Mata. 

“Pecamos muito no saque, erramos saques não forçados, e isso tem que diminuir para o jogo deste sábado. Quanto ao volume de jogo, defendemos bem, mas podíamos ter gerado mais contra-ataque. O nosso ataque funcionou bem e isso deu uma compensada. Também precisamos melhorar a marcação de bloqueio”, explicou o técnico Marcos Henrique, o Marcão, que também fez questão de elogiar seus comandados. 

“Estou feliz com a disposição dos meninos. Depois de uma derrota em casa sofrida, eles assimilaram rápido o que era preciso fazer e, diante de uma grande equipe, conseguiram imprimir um ritmo de jogo muito bom. Agora é decisivo. As duas equipes se conhecem bem e vai ser uma batalha muito forte. Estamos nos preparando, estudando e vamos com tudo”, concluiu Marcos Henrique. 

foto: Mari Resende

Comentários