(Libertadores) Bolívar Voley supera EMS Taubaté/Funvic e vai a decisão

Na segunda semifinal da Copa Libertadores, o Bolívar Voley, da Argentina, venceu o EMS Taubaté/Funvic por 3 sets a 2, parciais de 18/25, 25/18, 18/25, 25/21 e 13/15, em pleno ginásio Abaeté. Agora, os comandados de Javier Weber encaram na decisão, que acontece nesta quarta-feira, às 19h, o Sesc-RJ, que passou pelo Sesi-SP também no tie-break. 

Como era previsto, a partida começou equilibrada, com as duas equipes mostrando um bom volume de jogo. Entretanto, o Bolívar Voley, com destaque para o oposto Escobar, foi mais eficiente, principalmente no saque, e conseguiu abrir boa vantagem, fechando o primeiro set em 18 a 25. No segundo set, a EMS Taubaté/Funvic reagiu e logo abriu 4 a 0 no placar, porém os argentinos equilibraram as ações e deixaram o duelo parelho em grande parte do período. No final, os comandados de Daniel Castellani tiveram mais tranquilidade e com eficiência no side-out venceram por 25 a 18. 

Com 1 a 1 em sets era de se esperar mais equilíbrio na terceira parcial. No inicio, os times seguiram próximos no placar até a casa dos 15 pontos. Dali em diante, o Bolívar Voley tomou a dianteira e aproveitando os erros da equipe brasileira venceu novamente por 18 a 25. No quarto set, a EMS Taubaté/Funvic foi para o tudo ou nada, e forçando bastante o saque, além das variações de jogadas conseguiu abrir vantagem nos momentos decisivos da parcial, vencendo por 25 a 21. 

No tie-break, o Bolívar Voley logo abriu três pontos: 7 a 4, após um erro do ponteiro Facundo Conte. O time brasileiro reagiu e com um ace do central Lucão deixou tudo igual no placar: 7 a 7. Quando o time argentino teve a chance de abrir dois pontos, o levantador Hierrezuelo errou e o marcador anotava 12 a 12. Na reta final do jogo, os argentinos tiveram mais paciência e qualidade para fechar em 13 a 15, para tristeza da torcida no ginásio Abaeté. 

“Chegamos ao Final Four quando parecia muito difícil. Já ter vencido times brasileiros nos mostra que podemos vencer qualquer um”, analisou o capitão do Bolívar Voley, Pablo Crer. 

foto: Renato Antunes/Maxx Sports Brasil

Comentários