(Carioca) Sesc-RJ vence o Botafogo e conquista o tricampeonato

A decisão do Campeonato Carioca 2018 ocorreu no ginásio Oscar Zelaya, em General Severiano, e o Sesc-RJ venceu o Botafogo por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 25/18 e 18/25 e 28/26. O resultado garantiu a equipe comandada por Giovane Gavio o tricampeonato estadual e o alvinegro acabou ficando pela terceira vez com o vice-campeonato. 

A partida iniciou disputada, com os adversários brigando ponto a ponto por mais da metade do set. Após um ataque do oposto Paulo Victor, colocando o Sesc-RJ à frente em 16 a 15, o time visitante assumiu a dianteira no placar definitivamente até fechar a parcial em 25 a 22. No segundo set, a equipe comandada pelo técnico Giovane Gávio demonstrou superioridade técnica do início ao fim, furando o bloqueio do Botafogo ao intercalar ataques pelo meio, com Victor Hugo, e pela ponta com Djalma. Resultado: 25 a 18. 

A reação do Botafogo veio no terceiro set. Após um início equilibrado, até os 10 a 10, o alvinegro passou a frente no placar em uma manhã inspirada de André e Robinho, que conduziram a equipe à vitória parcial de 25 a 18. O equilíbrio foi a tônica do quarto set, com o Botafogo disposto a levar a partida para o tie-break. A parcial manteve-se indefinida até os 15 a 15, ponto em que a equipe alvinegra passou a frente no placar, chegando a abrir diferença de três pontos (19 a 16). Após pedido de tempo do técnico Giovane, o Sesc RJ encostou no marcador. Em um final emocionante, com ambas as equipes desperdiçando set e match point, o Sesc-RJ finaliza a partida em 28 a 26 e leva para casa o seu terceiro título estadual. 

“A gente já esperava que aqui dentro essa pressão da torcida fizesse a diferença. Começamos a errar muito no terceiro set, tivemos que tirar o PV (Paulo Victor), que é o ponto de referência do time, que sentiu a coxa. A equipe se desestabilizou um pouco. Mas tem muito mérito do Botafogo, que jogou com coragem, com vontade e fez um jogaço digno de final”, disse o treinador Giovane Gavio. 

“A gente vem num crescente, tanto fisicamente como em aspecto de grupo. Fizemos uma série de amistosos e torneio na Argentina, o que deu corpo à nossa preparação. Mas mesmo assim ainda não estamos no ritmo ideal, como exige a Superliga, a Libertadores e outros campeonatos que vamos disputar. Em relação ao jogo de hoje, as mudanças do Botafogo foram muito boas, eles tiveram volume de jogo. Eles estão de parabéns e o nosso grupo também, por ter resiliência e se superar nos momentos difíceis”, avaliou o central Victor Hugo. 

“Posso dizer que foi a melhor partida da minha vida. Agradeço primeiramente a Deus e a minha família por tudo que vem acontecendo. Também sou muito grato pela confiança de toda comissão técnica, dos companheiros de time e do Walner. A torcida foi espetacular, participou muito do jogo e botou pressão. Saio um pouco decepcionado porque sentimos que dava, mas foi uma sensação incrível viver esse momento. Estou num período de transição do Juvenil pro Adulto, na hora de ganhar maturidade e vejo que esse jogo foi muito importante nesse processo. Vou continuar dando a vida por essa camisa, buscando títulos e crescendo porque eu quero jogar no nível desses caras”, declarou o ponteiro alvinegro André. 

Agora, o Sesc-RJ vai encarar a 1ª edição da Copa Libertadores de Vôlei, com estreia marcada para a próxima sexta-feira diante do Sada/Cruzeiro, no ginásio do Riacho, em Contagem. Já o Botafogo terá suas atenções voltadas ao Estadual Juvenil, mas seguirá em preparação visando a Superliga B. 

foto: Luciano Belford

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio