(Campeonato Mundial) Brasil vira o jogo contra a Bélgica e fecha segunda fase

Depois de duas vitórias por 3 sets a 0 nesta segunda fase do Campeonato Mundial, a Seleção Brasileira acabou superada nos dois primeiros sets do jogo deste domingo, mas reagiu e virou o jogo contra a Bélgica. Na Arena Paladozza, em Bolonha, na Itália, o Brasil venceu por 3 sets a 2, com parciais de 22/25, 23/25, 25/19, 25/15, 25/15 e 15/12, e agora só pensa na fase final da competição. 

Kadu abriu o placar da partida. A Bélgica virou o jogo e teve dois de vantagem em 4 a 2. Bem no saque, o adversário ainda chegou a 7 a 4. No ponto de saque de William, o Brasil encostou no marcador: 8 a 9. Os belgas voltaram a abrir em 12 a 10. Com Evandro, a seleção brasileira deixou tudo igual (14 a 14). Novamente com o oposto, dessa vez pela entrada de rede, 16 a 16. No bloqueio, a Bélgica mais uma vez colocou dois de vantagem em 18 a 16. Quando a diferença subiu para três (20 a 17), Renan pediu tempo. Lucas Lóh fez 20 a 22. A Bélgica fez 24 a 21, Lóh marcou 22 a 24, mas o adversário fechou em 25 a 22. 

Bem no saque, a seleção belga chegou a 4 a 2 no começo do segundo set. Também neste fundamento, com ace de Maurício Souza, o Brasil chegou ao ponto de empate em 4/4. A Bélgica fez 7 a 4 e o técnico da equipe brasileira pediu tempo. Com dois pontos de saque seguidos de Evandro, o Brasil empatou (7 a 7). A equipe brasileira teve quatro de vantagem no segundo tempo técnico: 16 a 12. Com Evandro fez 18 a 16. Com ponto de bloqueio de Kadu, 19 a 17. A Bélgica buscou e deixou tudo igual em 20 a 20. Renan pediu tempo. Maurício Souza fez 21 a 20 e, depois, 23 a 22. Mas, a Bélgica fechou em 25 a 23. 

Evandro abriu o placar do terceiro set e Lucas Lóh fez 2 a 1. No ace de Éder, 5 a 2. A Bélgica encostou no marcador em 6 a 7. No bloqueio, a seleção brasileira chegou a 12/9. O adversário encostou em 11 a 12 e empatou em 13 a 13. Lucas Lóh pontuou no contra-ataque e o Brasil abriu três de vantagem: 16 a 13. Em boa passagem do ponteiro pelo saque, a equipe verde e amarela marcou 19 a 16 e o técnico da Bélgica pediu tempo. O Brasil fez 23 a 19 e o adversário parou o jogo mais uma vez. No ace de Douglas, a seleção brasileira venceu por 25 a 19. 

Com ponto de saque de Éder, o Brasil abriu 4 a 2. Os belgas empataram em 4 a 4. Douglas bloqueou o ataque adversário marcou 8 a 5. Na volta do tempo técnico, mais um bloqueio, com Maurício, e 9 a 5. Douglas marcou 11 a 6 e o adversário parou o jogo. Quando a Bélgica aproximou (10 a 12) foi a vez de Renan pedir tempo. O time verde e amarelo voltou a pontuar e abrir vantagem: 15 a 10. A diferença se manteve em cinco em 17 a 12. No bloqueio de Maurício, 19 a 13. No ace de Lucas Lóh, 20 a 13. Éder bloqueou sozinho e marcou 23/14. E o time brasileiro fechou em 25 a 15. 

Com dois bloqueios seguidos de Éder, o Brasil abriu 4 a 0 e forçou o adversário a pedir tempo. Com Evandro pontuando bem, a seleção brasileira teve três de vantagem na troca de quadra (8 a 5). A equipe dirigida pelo técnico Renan seguiu melhor em quadra e fechou o set decisivo em 15 a 12. 

“Nosso time está com um ritmo de jogo muito bom. Nós, os reservas, não estávamos jogando tanto. Por isso, demoramos um pouco para entrar no jogo, mas depois que engrenamos conseguimos virar a partida. Todos os jogadores fizeram o seus papeis dentro de quadra e fico muito feliz com a atuação de cada um porque precisamos de todo o time. O Renan, como bom técnico que é, entendeu isso e nos deu essa oportunidade hoje”, declarou o oposto Evandro. 

“Todo mundo está pronto para quando o time precisar. Temos que entrar em quadra e ajudar. Mostramos um poder de superação e isso é a marca de todo esse time. Estamos provando o que podemos dentro de quadra. Qualquer oportunidade que recebemos temos que dar o maior valor e tratar com o maior carinho”, disse o ponteiro Lucas Lóh. 

Equipes:

Brasil: William, Evandro, Maurício Souza, Éder, Lucas Lóh, Kadu e Thales (líbero)
entraram: Wallace, Bruno, Isac, Douglas e Maique
técnico: Renan Dal Zotto

Bélgica: Van Den Dries, Deroo, D'hulst, Grobelny, Verhees, Van De Voorde e Ribbens (líbero)
entraram: Coolman, Valkiers, Rousseaux e Tuerlinckx
técnico: Andrea Anastasi

foto: DIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio