(Campeonato Mundial) Brasil quebra invencibilidade dos Estados Unidos

Nesta sexta-feira, a Seleção Brasileira bateu os Estados Unidos por 3 sets a 0, parciais de de 25/20, 25/18 e 25/19, em Turim, na Itália, onde acontece a Fase Final do Campeonato Mundial. Além de quebrar a invencibilidade dos norte-americanos, o time verde e amarelo garantiu o primeiro lugar do Grupo I, ou seja, enfrentará o segundo colocado do Grupo J, a Sérvia, na semifinal deste sábado, às 12h (horário de Brasília). 

O Brasil começou melhor e, com Kadu no contra-ataque, marcou 2 a 0. Os norte-americanos deixaram tudo igual em 2 a 2. O set seguiu ponto a ponto até a seleção dos Estados Unidos virar o set (7 a 6). Aí, então, foi a vez da seleção brasileira virar e fazer 8 a 7. No ace, o time norte-americano fez 10 a 9 e teve a vantagem de dois pontos em 12 a 10. O Brasil buscou e virou em 13 a 12. Com Evandro, a equipe verde e amarela abriu dois (14 a 12) e o adversário pediu tempo. Na volta, Éder pontuou. No ace de Douglas, 16 a 12. Na volta do tempo técnico, mais um ace do ponteiro (17 a 12) e mais um pedido de tempo dos Estados Unidos. O placar ainda foi favorável ao Brasil em 18 a 12. Os norte-americanos reagiram e reduziram a diferença para quatro pontos em 17 a 21. Evandro chegou ao ponto do sete em 24 a 19 e o Brasil fechou com o próprio oposto em 25 a 20. 

Em boa passagem de William pelo saque, o Brasil abriu 3 a 0 no começou do segundo set. No ponto de saque de Evandro, a seleção brasileira chegou a 7 a 3. No ace do oposto, 8 a 3. Com Maurício Souza, o placar foi a 10 a 5. A seleção dos Estados Unidos reagiu e aproximou no placar em 9 a 11. Evandro parou a reação adversária, fazendo 12 a 9. O oposto pontuou novamente, explorando o bloqueio adversário, e o Brasil fez 14 a 9, forçando o adversário a pedir tempo. Em uma diagonal curta, Evandro marcou 17 a 10. Kadu fez 19 a 13. Quando o adversário fez 15 a 19 com ponto de saque, Marcelo Fronckowiak pediu tempo. O time norte-americano manteve a reação e fez 17 a 19. A equipe verde e amarela seguiu bem no set e, no ace de Wallace, fez 25 a 18. 

A seleção brasileira manteve o bom ritmo e abriu 5 a 0 no terceiro set. Os Estados Unidos pediram tempo. Contando com erros do adversário, o Brasil abriu 8 a 3 no primeiro tempo técnico. No ace de Éder, o placar foi a 10 a 3 e a seleção adversária pediu tempo. Evandro pontuou no saque e a seleção brasileira chegou a 12 a 4. Kadu fez 14 a 5. Os Estados Unidos reagiram, passaram a pontuar bem e aproximaram no marcador em 14 a 17. Mas, a seleção brasileira soube manter a tranquilidade e, administrando a parcial, fechou em 25 a 19. 

“Com as duas seleções já classificadas, tivemos a possibilidade de usar os jogadores que atuam menos, considerados reservas, e, mais uma vez, conseguimos mostrar nosso valor. O Brasil está muito bem, então, eles precisam entrar com um time um pouco mais forte para conseguir um resultado favorável diante da nossa seleção”, afirmou o oposto Evandro, que complementou. 

“Além disso, eles cometeram muitos erros durante a partida, conseguimos tirar proveito disso, sacamos e bloqueamos bem e fizemos a nossa virada de bola da maneira ideal. Nosso jogo entrou, funcionou e, por isso, conseguimos essa vitória um pouco mais tranquila”, disse o oposto brasileiro. 

“Não foi um jogo tão bom tecnicamente, até pela situação da partida, com ambos classificados. Mas, temos sempre do nosso lado a pressão de termos que ganhar, é nossa rotina, pressão natural, defender a seleção é sempre assim. Pudemos entrar, jogar, nos divertir um pouco. Quem esteve fora conseguiu descansar, isso é o mais importante, já que amanhã o ‘bicho pega’”, comentou o levantador William. 

Equipes:

Brasil: William, Evandro, Maurício Souza, Éder, Kadu, Douglas e Thales (líbero)
entraram: Maique, Wallace, Bruno, Lucas Lóh e Isac
técnico: Marcelo Fronckowiak

Estados Unidos: Kawika Shoji, Patch, Langlois, Mcdonnell, Jendryk Ii, Averill e Watten (líbero)
entraram: n/a
técnico: John Speraw

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio