(Campeonato Mundial) Brasil passa pela China e fica como 1º do Grupo B

Com quatro vitórias em cinco jogos, a Seleção Brasileira encerrou sua participação na primeira fase do Campeonato Mundial. O time comandado por Renan Dal Zotto venceu a China por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/22 e 25/17, na Arena Monbat, em Ruse, na Bulgária, e se classificou com a melhor posição do Grupo B, com onze pontos, pontuação essa que levará para a segunda fase. 

Com bom saque, a China saiu na frente. Os chineses seguiram em vantagem em 5 a 3. O Brasil chegou ao ponto de empate em 7 a 7. Com Lucão, a seleção brasileira voltou a empatar, fazendo 10 a 10. As equipes seguiram trocando pontos (14 a 14). A seleção asiática chegou a colocar três de vantagem em 18 a 15. Wallace no contra-ataque deixou tudo igual em 19 pontos. Foi o oposto também o responsável pela virada no placar em 21 a 20. O Brasil seguiu melhor na reta final e venceu por 25 a 21. 

Os chineses estiveram na frente também no começo do segundo set e Lucão deixou tudo igual em 4 a 4. No bloqueio, o Brasil virou (5 a 4). O Brasil teve dois de vantagem em 8 a 6. Wallace marcou 11 a 9. Em combinação rápida pelo meio de rede, a China chegou ao ponto de empate em 13 a 13. No bloqueio, a seleção brasileira voltou a ter vantagem: 16 a 14. A diferença aumentou em 18 a 15. Lucão marcou 20/18. Os chineses empataram em 21 a 21 e Renan pediu tempo. Na volta, Douglas pontuou e fez 22 a 21. Com Lipe, 23 a 21. E o Brasil fechou em 25 a 22. 

Com ponto de saque, a seleção chinesa abriu vantagem logo no começo do terceiro set, fazendo 3 a 1. Com Wallace pontuando bem, a equipe brasileira virou o jogo. Maurício Souza marcou 8 a 6. Com Douglas, o Brasil fez 13 a 9. Lipe explorou o bloqueio adversário e marcou 15 a 11. O time do técnico Renan seguiu melhor em quadra e, com Lipe, chegou a 18 a 12. No bloqueio de Maurício Souza, 19 a 14. Administrando a vantagem, a seleção fechou em diagonal de Lucas Lóh, anotando 25 a 17 no último set e encerrando com vitória a primeira fase. 

“Sabemos agora quais times podemos enfrentar, seja saindo em primeiro, seja saindo em segundo. O importante era sair com o máximo de pontos possíveis desta fase, sabemos que carregamos os pontos. Um ponto perdido hoje, por exemplo, lá na frente poderia fazer falta. Era importante, após a derrota contra a Holanda, sairmos com a 'cartela cheia'. Sair do momento complicado e fazer esses seis pontos que nos deixam na briga. Essa é a hora de crescermos e melhorarmos, pois a segunda fase será ainda mais difícil que essa”, declarou o levantador Bruninho. 

“Assim que acabou o jogo contra a França, falamos que não poderíamos cair na armadilha de ter vencido, que teríamos outras boas equipes para enfrentar pelo caminho. Como dizemos, não existe mais adversário fraco, qualquer equipe pode complicar um jogo, como a China fez no começo do jogo. Tudo que foi conversado, conseguimos encaixar dentro de quadra e a equipe cresceu. Espero que esse crescimento continue para seguirmos bem na próxima fase”, disse o central Lucão. 

Equipes:

Brasil: Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lipe, Douglas e Thales (líbero)
entraram: Evandro, William e Lucas Lóh
técnico: Renan Dal Zotto

China: Jiang, Chen, Liu, Rao, Du, Mao e Tong (líbero)
entraram: Tang e Yu
técnico: Raul Lozano

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio