(Liga das Nações) Brasil perde no tie-break para a França na estreia da fase final

A Seleção Brasileira chegou a Lille, na França, sabendo que teria, de cara, na primeira partida da Fase Final da Liga das Nações, um duelo contra os donos da casa. Classificado na quinta posição, o Brasil, então, enfrentou os franceses, líderes da fase classificatória, na última quarta-feira, no estádio Pierre Mauroy, e, depois de muita disputa, acabou superado por 3 sets a 2, parciais de 25/22, 20/25, 25/21, 22/25 e 13/15, diante de cerca de 8.100 torcedores do time local. 

A primeira bola já foi extremamente disputada e, com Wallace, o Brasil abriu o placar do jogo. A seleção brasileira seguiu bem e abriu boa diferença no 6 a 2, forçando o pedido de tempo do adversário. O placar ainda foi a 7 a 2. No bloqueio de Bruninho, 9 a 3. A França passou a pontuar mais e, quando fez 6 a 10, Renan parou o jogo. A diferença de quatro se manteve em 13 a 9. Wallace voltou a colocar o Brasil com boa vantagem ao marcar 17 a 12. Os franceses reduziram a vantagem para 17 a 20. Lucas Lóh fez 22 a 18. Com Isac, o Brasil chegou a 23 a 19. Com Ngapeth, os donos da casa aproximaram ainda mais no placar: 21 a 23. No final, vitória brasileira: 25 a 22. 

A França começou melhor e, com Wallace, o Brasil empatou em 3 a 3. O placar esteve igual de novo em 5 a 5. Após este momento, os donos da casa abriram boa vantagem em 10 a 7. A diferença se manteve em 12 a 9. Wallace colocou a seleção brasileira colada no marcador (11 a 12). Quando a França marcou 15 a 11, Renan pediu tempo. Na volta, na bola de segunda de Bruninho, 12 a 15. Maurício Borges fez 13 a 15 no ataque e Wallace 14 a 15 no bloqueio. Os franceses voltaram a abrir vantagem em 18 a 15. A diferença aumentou em 21 a 17. A França seguiu melhor e fechou em 25 a 20. 

Os franceses começaram bem e abriram 3 a 0 sobre os brasileiros. No bloqueio, o Brasil encostou em 4 a 5 e teve um de desvantagem novamente no tempo técnico: 7 a 8. Com Maurício Borges, a equipe verde e amarela chegou ao ponto de empate (9 a 9) e, no ace do ponteiro, 10 a 9. O Brasil abriu dois em 12 a 10 e, depois de bom saque de Wallace, três em 14 a 11. No bloqueio de Maurício Souza, 15 a 12. No tempo técnico, 16 a 12 para o Brasil. Com Lucas Lóh, a seleção brasileira marcou 19 a 16. A França diminuiu a diferença em 18/20. E o time da casa encostou de vez em 20 a 21. Renan pediu tempo. O Brasil fez 22 a 20 e Maurício Borges saiu lesionado. No ace de Maurício Souza, o Brasil fechou em 25 a 21. 

Wallace abriu o placar do quarto set. Com Maurício Souza, o Brasil fez 3 a 2. O placar esteve igual em 4 a 4. Depois de um longo rally, Ngapeth marcou 7 a 6 para França. No primeiro tempo técnico, 8 a 7 para os donos da casa. No erro do Brasil, o adversário abriu vantagem: 12 a 9. Renan pediu tempo e na volta a França marcou mais um: 13 a 9. Com Lucão, a seleção brasileira fez 12 a 14. O Brasil encostou em 14 a 15 e o adversário abriu dois em 16/14. No bloqueio de William, 16 a 16. Os franceses fizeram 18 a 16 e, no erro de saque do Brasil, 21 a 19. Quando o adversário marcou 22 a 19, Renan parou o jogo. No bloqueio, a seleção brasileira fez 22 a 24 e a França pediu tempo. Na volta, o time brasileiro errou o saque e os franceses fizeram 25 a 22. 

Com Ngapeth, a França saiu na frente no set decisivo. Douglas respondeu. No erro do adversário, a seleção brasileira virou e fez 2 a 1. Wallace marcou 3 a 2 e a Le Goff virou o set para os donos da casa em 5 a 4. Com ponto de saque, a França marcou 7 a 5. Na troca de quadra, 8 a 6 para a França. Na sequência, no erro do Brasil, 9 a 6 e, com Ngapeth, 10 a 6. Depois de um rally com boas defesas, a seleção brasileira fez 8 a 11. Wallace marcou 9 a 11. No bloqueio de Maurício Souza, o Brasil encostou no placar: 12 a 13. A França fechou em 15 a 13. 

“Esse é um jogo onde tudo precisa funcionar. Conquistar uma vitória hoje seria muito importante, mas vamos buscar uma vitória amanhã para garantir a classificação para a semifinal. Hoje tivemos problemas, perdemos Maurício Borges, uma peça fundamental dentro da estrutura tática do time, mas os garotos lutaram até o final, foram valentes e vamos reconstruir para amanhã”, disse o técnico Renan Dal Zotto. 

A baixa da noite ficou por conta da saída do ponteiro Maurício Borges, ainda no terceiro set, quando sentiu fortes dores no joelho em um lance quando tentou se esquivar do saque adversário. A princípio, o médico da seleção, Dr. Ney Pecegueiro, diagnosticou uma entorse e o atleta fará uma ressonância logo na manhã desta quinta-feira para conhecer a gravidade da lesão. 

“O Douglas entrou muito bem, o Lucas Lóh está fazendo muito bem a parte dele, hoje a nossa recepção segurou o saque deles, a linha de passe funcionou, nossos ponteiros ajudaram, mas nós somos uma equipe que trabalha sempre com os 14 jogadores. Por isso, esperamos que o Maurício se recupere logo porque é um cara que nos ajuda muito”, disse o capitão Bruninho, que ainda comentou sobre o desempenho do Brasil nesta quarta-feira. 

“O nosso time jogou bem, foi um bom jogo, alguns detalhes para ser ajustados e precisamos jogar mais soltos. O Brasil joga sempre com o peso de precisar vencer, até por ser líder do ranking há tantos anos, e temos que saber administrar isso”, concluiu o levantador. 

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Isac, Maurício Borges, Lucas Lóh e Thales (líbero)
entraram: Evandro, William, Maurício Souza, Douglas e Éder
técnico: Renan Dal Zotto

França: Toniutti, Boyer, Le Roux, Le Goff, Ngapeth, Rossard e Grebennikov (líbero)
entraram: Brizard, Patry e Lyneel
técnico: Laurent Tillie

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sem apoio e problemas de estrutura, Rádio Clube/AVP decide fechar as portas

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata