(Liga das Nações) Brasil não aguenta pressão russa e vai disputar o bronze

O grupo brasileiro viu uma atuação de gala do outro lado da rede e, neste sábado, não conseguiu o resultado desejado diante da Rússia em partida válida pela semifinal da Liga das Nações. O Brasil foi superado por 3 sets a 0, parciais de 17/25, 18/25 e 14/25, no estádio Pierre Mauroy, em Lille, na França. Agora, a equipe verde e amarela busca a medalha de bronze neste domingo, às 12h (horário de Brasília), diante dos Estados Unidos. A partida terá transmissão ao vivo do SporTV 2. França e Rússia se enfrentarão na busca pelo título a partir das 15h45min. 

A Seleção Brasileira abriu o placar da partida com ponto de saque de Maurício Souza e, na sequência, abriu 3 a 1. A Rússia buscou e a diferença caiu para um ponto em 4 a 5. O set esteve igual em 6 a 6 e, no bloqueio, os russos assumiram o comando do marcador: 8 a 7. Contando com erros do Brasil, a seleção russa colocou três de vantagem em 14 a 11. Renan pediu tempo. A diferença aumentou a favor da Rússia (16 a 11). Quando no ponto de saque o adversário chegou a 20 a 13, o técnico brasileiro parou o jogo mais uma vez. No ace, a Rússia chegou a 22 a 14. No final, 25 a 17 para a Rússia. 

Com mais um ace de Maurício Souza, o Brasil marcou 2 a 1 no começo do segundo set. Os russos viraram em 3 a 2. O adversário abriu dois de vantagem em 6 a 4 e colocou o dobro de pontos em 8 a 4. No bloqueio de Maurício Souza, a seleção brasileira marcou 7 a 10. A diferença no placar voltou a aumentar em 14 a 9. Neste momento, Renan pediu tempo. Em potente ataque de Lucão, o Brasil fez 10 a 15. No bloqueio, a vantagem russa passou a ser de sete pontos em 18 a 11. E passou a oito em 21 a 13. A Rússia seguiu melhor e fechou em 25 a 18. 

Os russos abriram 3 a 0 logo no início do terceiro set. A diferença se manteve grande em 5 a 1, quando o treinador da seleção brasileira parou o jogo. No primeiro tempo técnico, a Rússia vencia por 8/3. No bloqueio, o adversário chegou a 9 a 4. O placar ainda esteve m 12 a 5. Isac, com ponto de saque, ajudou o Brasil a fazer 8 a 13. No erro de saque do Brasil, os russos fizeram 16 a 10 no segundo tempo técnico. O placar ainda foi a 18 a 10. Sem ter muita chance na parcial, a seleção brasileira viu o adversário fechar em 14 a 25. 

“O que alimenta o jogo brasileiro é o ataque e nossa virada de bola pecou um pouco, mas também por mérito deles. A seleção da Rússia fez uma partida excepcional, como há tempos eu não via eles jogarem. Eles conseguiram ter um contra-ataque muito efetivo, o que nem é uma característica do jogo deles, e nós não tivemos tanta paciência para reconstruir. De qualquer forma, eu realmente dou o mérito do jogo de hoje a eles”, disse o central Lucão. 

“Hoje não fizemos nem perto do nosso melhor jogo e o deles foi praticamente perfeito. Eles jogaram sempre na frente e ditaram o ritmo do jogo, coisa que não conseguimos fazer em momento algum”, lamentou o oposto Wallace. 

“Tivemos pontos opostos neste jogo. A Rússia fazendo uma partida excepcional, com o time completo, inclusive quatro jogadores que não estiveram nas primeiras etapas, e nós fizemos um jogo que não é para esquecer e, sim, rever várias vezes e buscar melhorar”, afirmou o treinador Renan Dal Zotto, que faz questão de uma medalha neste domingo. 

“Amanhã temos a oportunidade de mudar essa história. O bronze é uma questão de honra, e vamos lutar para tentar buscar e ficar no pódio”, concluiu o técnico da seleção brasileira. 

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Douglas, Lucas Lóh e Thales (líbero)
entraram: Evandro, William, Isac, Victor e Éder
técnico: Renan Dal Zotto

Rússia: Kovalev, Mikhaylov, Muserskiy, Volvich, Kliuka, Volkov e Kabeshov (líbero)
entraram: n/a
técnico: Sergei Shliapnikov

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio