(Liga das Nações) Em grande duelo na Arena Goiânia, Brasil vence, de virada, EUA

Na última partida em casa, a Seleção Brasileira contou com o apoio de cerca de 11.400 pessoas que lotaram a Goiânia Arena, em Goiânia, e virou o jogo sobre os Estados Unidos na terceira partida da segunda semana da Liga das Nações. Na tarde deste domingo, o time comandado pelo técnico Renan Dal Zotto venceu por 3 sets a 2, parciais de 21/25, 20/25, 25/19, 25/20 e 20/18. Com o resultado, o Brasil chegou a liderança do campeonato, ao lado da Polônia, com 15 pontos. 

Os Estados Unidos começaram melhor e abriram 4 a 2 no começo do jogo. A vantagem norte-americana se manteve em 9 a 7. Depois de grande defesa de Maurício Borges, Wallace buscou, devolveu e, no bloqueio de Lucão, o Brasil chegou ao ponto de empate: 11 a 11. O adversário voltou a abrir vantagem em 16 a 15. Wallace deixou tudo igual em 16 a 16. Wallace, em uma diagonal curta, marcou 18 a 18. Os Estados Unidos voltaram a abrir vantagem (20 a 18) e Renan pediu tempo. O adversário fez 22 a 21. No ace de Russel, a seleção americana marcou 24 a 21 e Renan parou o jogo. E os Estados Unidos fecharam em 25 a 21. 

O segundo set começou com a seleção dos Estados Unidos embalada. Os norte-americanos abriram cinco de vantagem em 7 a 2. No bloqueio de Lipe, o Brasil marcou 4 a 7. No ace de Maurício Borges, 5 a 7. O adversário pediu tempo. Com Lipe, a seleção brasileira encostou no placar: 8 a 9. O adversário voltou a abrir vantagem e chegaram a 15 a 10. A equipe norte-americana ainda esteve a frente em 17 a 12. Wallace marcou 15/19. Com Anderson, os Estados Unidos marcaram 21 a 15 e Renan pediu tempo. Os Estados Unidos venceram por 25 a 20. 

A seleção brasileira reagiu e, no ace de Maurício Borges, marcou 4 a 1. Wallace marcou 6 a 3. Maurício Borges colocou o Brasil com dois de vantagem no primeiro tempo técnico: 8 a 6. No ponto de bloqueio, a equipe verde e amarela abriu 10 a 6, forçando o adversário a pedir tempo. No erro do adversário, o Brasil aumentou a vantagem: 13 a 8. Com Anderson, os Estados Unidos reduziram a diferença para 11 a 13. Renan pediu tempo. Lucão marcou 16 a 12. O Brasil ainda marcou 17 a 12 e os Estados Unidos pediram tempo. A equipe brasileira fez 20 a 14. Com Isac, 22 a 15. Superior em quadra, o Brasil fechou o terceiro set em 25 a 19. 

O Brasil seguiu embalado e, no ponto de saque de Wallace, abriu 6 a 4. O adversário empatou em 6 a 6 e virou o set em 7 a 6. No bloqueio de Maurício Borges, a seleção brasileira chegou a 11 a 9. Os Estados Unidos encostaram em 12 a 13 e Lucão fez 14/12. Com o central novamente, dessa vez no bloqueio, a equipe verde e amarela chegou a 16 a 13. Maurício Borges fez 17 a 13 e o adversário pediu tempo. Com Maurício Borges no bloqueio, 19 a 14. A seleção norte-americana marcou dois pontos, fez 16 a 19, e Renan parou o jogo. Com dois pontos seguidos de Maurício Borges, 21 a 16. O Brasil ainda chegou a 23 a 18. No final, vitória brasileira por 25 a 20. 

O Brasil saiu na frente no erro de saque do adversário e abriu 2 a 0 logo no começo do set decisivo. Os Estados Unidos empataram em 2 a 2. Na sequência, a seleção brasileira abriu 5 a 3. Wallace marcou 7 a 4. O técnico dos Estados Unidos pediu tempo. Na troca de quadra, o Brasil vencia por três de vantagem: 8 a 5. No bloqueio de Anderson, o time norte-americano encostou em 7 a 8. O placar ficou igual em 9 a 9. O adversário assumiu o comando do marcador em 11 a 10 e o Brasil pediu tempo. Lipe fez 12 a 12. Depois de muita disputa, o Brasil venceu por 20 a 18 no ace de Isac. 

“Tudo que queríamos era sair daqui com três vitórias, mas sabíamos da dificuldade que seria. Os dois primeiros jogos com menos informações, o grupo reagiu bem, e o de hoje, mais uma vez provou que não dá para jogar com seis jogadores. Nós temos que ter a qualidade de todos prontos para qualquer momento”, analisou o técnico Renan Dal Zotto, que ainda comentou o jogo de hoje. 

“Hoje não desistimos em momento nenhum do jogo. Mesmo no segundo set, quando estivemos com o placar bastante dilatado, os atletas buscaram o set, chegou junto, mas não deu tempo de recuperar. Depois, no terceiro e no quarto sets, o time encaixou bem, teve maturidade, tranquilidade e fez uma grande partida”, destacou o treinador brasileiro. 

“Foi um jogo difícil e já sabíamos que ia ser assim. Precisávamos da rodada de bola e consegui ajudar nisso. O William também está de parabéns, entrou muito bem, fez um jogo espetacular e eu só contribui com o que tento fazer de melhor. Estou muito feliz pela vitória, por ter ajudado nessa virada, então, a equipe toda está de parabéns pelo empenho”, disse o central Isac. 

A próxima parada da equipe brasileira será em Ufa, na Rússia. A delegação viaja ainda neste domingo e enfrentará Rússia, Irã e China no próximo fim de semana, dias 8, 9 e 10 deste mês. 

Equipes:

Brasil: Bruno, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Maurício Borges, Lipe e Murilo (líbero)
entraram: Evandro, William, Léo, Isac e Éder
técnico: Renan Dal Zotto

Estados Unidos: Christenson, Anderson, Holt, Jendryk, Russel, Jaeschke e Shoji E. (líbero)
entraram: Shoji K., Defalco, Taylor e Smith
técnico: John Speraw

foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sem apoio e problemas de estrutura, Rádio Clube/AVP decide fechar as portas

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata