(Superliga) Sada/Cruzeiro e Sesi-SP jogam pelo título neste domingo no Mineirinho

Chegou a hora decisiva. Neste domingo, às 9h, no ginásio Mineirinho, será definido o campeão da Superliga 2017/2018. Sada/Cruzeiro e Sesi-SP se enfrentam no segundo jogo da final, sendo que os mineiros precisam de uma vitória para ficarem com o título, enquanto o time paulista precisa vencer para forçar um Super Set. A partida terá transmissão ao vivo da TV Globo e do SporTV. 

Antes de chegar a final da Superliga, o Sada/Cruzeiro encerrou a fase classificatória na primeira colocação. Nas quartas de final, a equipe dirigida pelo técnico Marcelo Mendez eliminou o Lebes Canoas e, na semifinal, passou pelo EMS Taubaté Funvic. Já o Sesi-SP encerrou a fase regular na terceira colocação. Nas quartas de final, o time comandado pelo técnico Rubinho passou pelo Corinthians-Guarulhos e, depois, na semi, acabou eliminando o Sesc-RJ. 

Depois do triunfo por 3 a 2 na primeira partida em São Paulo, o tem a vantagem de jogar por uma vitória simples, entretanto ninguém no elenco leva isso muito em conta, já que a semana foi intensa, com treinamentos no ginásio da Pampulha, além de atividades no CT do Barro Preto. E nos últimos dias o treinador Marcelo Mendez também priorizou o descanso e recuperação do elenco, que teve uma reta final de campeonato bem agitada. 

“Tivemos muitas partidas, confrontos decisivos, e isto foi importante para o nosso ritmo de jogo. Agora já estamos prontos para disputar esta outra e decisiva final. Na primeira partida em São Paulo nós trabalhamos muito bem nosso bloqueio e a nossa defesa, e creio que podemos melhorar nosso ataque e nosso saque. O importante é fazermos nosso 100%”, reforçou o treinador Marcelo Mendez. 

“Nós estudamos muito o Sesi-SP, então acho que se a gente tiver consciência, tranquilidade de fazer o que a gente vem fazendo durante todo o ano, as coisas vão favorecer o time. O Mineirinho é um ginásio épico, treinamos aqui desde terça-feira, para pegar as referências. E eu sei que o ginásio estará lindo, com a Nação Azul nos prestigiando, acho que vai ser um jogo digno do melhor voleibol do mundo, com duas fortes equipes em quadra. Vai ser um jogo difícil e a gente espera sair com uma bela vitória, para poder presentear os nossos torcedores com mais esse título”, disse o capitão Filipe. 

“A nossa torcida faz muito barulho, é contagiante e realmente faz diferença. Estamos preparados e concentrados para fazer o nosso melhor jogo nesta partida, o mais bonito espetáculo. Creio que em uma final não existe favoritismo, não tem jogador mais forte que o outro, simplesmente há seis jogadores de cada lado da quadra. E temos que jogar com o coração para conseguir a vitória. É o resultado de toda uma temporada e vamos com tudo”, afirmou o central Simon. 

Precisando vencer o duelo para forçar um Super Set, o Sesi-SP trabalhou muito forte durante a semana. O grupo comandado pelo técnico Rubinho sabe o que é preciso fazer dentro das quatro linhas para ter a chance de seguir na briga pelo título. Para muitos, o saque será o fundamento decisivo no confronto e a concentração durante toda a partida também pode ser um fator de desequilíbrio no confronto. 

“A nossa virada de bola no primeiro jogo foi muito abaixo do que apresentamos durante a Superliga, então acredito que temos que focar muito nesse ponto. Tentar fazer uma rotação mais rápida para conseguir dar um suporte ainda maior para o bloqueio e defesa pode fazer a diferença a nosso favor”, declarou o central Lucão, que não se sente incomodado com a mudança de horário para tão cedo. 

“Mudamos nossos horários de treinos, passamos a saltar logo pela manhã, o que é mais difícil no voleibol, geralmente essa parte fica para o treino da tarde, mas em uma final não tem horário e não tem número de sets, até porque depois desse jogo acabou. Então nosso foco principal está em vencer três sets, não importa se for 3 a 0 ou 3 a 2 e depois o golden set, que será um tiro, quem começar melhor provavelmente leva”, completou o camisa 16, atacante mais eficiente da competição com 64% de excelência no fundamento. 

O grupo da capital paulista conta com mais dois destaques. Entre os maiores pontuadores, o jovem oposto Alan Souza aparece como o terceiro atleta mais eficiente, com 4,30 e 434 pontos marcados, atrás dos jogadores do time rival deste domingo Leal (438) e Wallace, do EMS Taubaté/Funvic (467). Na recepção, o ponteiro Renato aparece em segundo lugar com 71% de eficiência. Alan Domingues, líbero do Montes Claros, é o primeiro colocado, com os mesmos 71%. 

Esta é a 8ª final consecutiva da Superliga para o Sada Cruzeiro. E pela quarta vez o adversário na decisão é o Sesi-SP. O time paulista venceu em 2010/2011 e depois foram dois títulos para o Sada Cruzeiro, em 2013/14 e 2014/15, sendo que em todas as ocasiões o palco da final foi o Mineirinho. O ginásio também recebeu a decisão do ano passado, contra o Funvic Taubaté. 

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Filipe, Leal, Simon, Isac e Serginho (líbero)
técnico: Marcelo Mendez

Sesi-SP: William, Alan, Douglas Souza, Lipe, Gustavão, Lucão e Murilo (líbero)
técnico: Rubinho

foto: Renato Araujo/Sada Cruzeiro e Sesi-SP/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata

Com jogos ao vivo na web, Taça Prata começa nesta terça-feira em Itapetininga