(Liga das Nações) Zaytsev joga demais e Itália vence o Brasil em Kraljevo

Em seu segundo jogo pela Liga das Nações, a Seleção Brasileira acabou superada pela Itália, no último sábado, em Kraljevo, na Sérvia. A equipe dirigida pelo técnico Renan Dal Zotto perdeu por 3 sets a 2, parciais de 25/18, 19/25, 21/25, 26/24 e 8/15, com destaque para o oposto Zaytsev, que anotou 32 acertos (26 de ataque, quatro de bloqueio e dois de saque). 

A Itália saiu na frente. Evandro devolveu, fazendo 1 a 1. O set seguiu disputado ponto a ponto. Lucão fez 4 a 3. No ponto de saque do central, o Brasil abriu dois: 6 a 4. A vantagem passou a ser de três em 8 a 5. Os italianos reagiram e depois de bom saque de Juantorena encostaram em 8 a 9. No bloqueio, o time da Itália chegou ao ponto de empate (12 a 12). O Brasil voltou a abrir vantagem em passagem de Evandro pelo saque: 15 a 13. No ace de Douglas, 17 a 14. Com o ponteiro bem no saque, a seleção brasileira chegou a 18 a 14 e os italianos pediram tempo. Com Evandro pontuando bem, o Brasil marcou 21 a 15. Lucão marcou 23 a 17. Renan colocou o jovem ponteiro Léo para sacar e, no ace dele, o Brasil fechou em 25 a 18. 

A Itália voltou melhor e, no bloqueio, fez 3 a 1. O adversário seguiu pontuando bem e, com Juantorena, marcou 6 a 3. No ace de Gianelli, os italianos chegaram a 7 a 3. Na volta do primeiro tempo técnico, o adversário pontuou com Zaytsev e marcou 9 a 4. No ace de Juantorena, 10 a 4. Renan pediu tempo. O placar foi a 12 a 5 e o técnico brasileiro pediu tempo novamente. A Itália colocou o dobro de pontos em 14 a 7. O placar foi a 16 a 9. No bloqueio simples de Juantorena, 17 a 9. Em uma diagonal curta de Wallace, o Brasil fez 12 a 19. A equipe brasileira reagiu e, em grande passagem de Isac pelo saque, marcou 15 a 20, forçando o treinador adversário a parar o jogo. O Brasil diminuiu ainda mais a diferença em 18 a 22. No final, vitória italiana por 25 a 19. 

Foi o Brasil que começou melhor no terceiro set e abriu 3 a 1. A equipe verde e amarela seguiu bem e no ace de Lucão marcou 7 a 3. A Itália reagiu e aproximou no placar. No ace de Juantorena, encostou em 7 a 8. Renan pediu tempo. Zaytsev explorou o bloqueio brasileiro e deixou tudo igual (8 a 8). No erro do Brasil, os italianos viraram o set: 11 a 10. O placar ainda foi a 13 a 11. A vantagem italiana aumentou em 16 a 12. Com Lucão bem no saque, a seleção brasileira fez 14 a 16 e o adversário pediu tempo. Evandro fez 16 a 18. Com três pontos de saque seguidos de Nelli, a seleção italiana marcou 22 a 16. No final, com Zaytsev, a Itália fechou em 25 a 21. 

No bloqueio de Lucão, o Brasil empatou logo no começo do quarto set: 2 a 2. No lance seguinte, bloqueio de Maurício Souza e 3 a 2. Com Lipe, 5 a 4. No bloqueio, a Itália abriu dois de vantagem (7 a 5). Em boa passagem de Maurício Souza pelo saque, o Brasil assumiu o comando do marcador, em 9 a 8. O set ficou igual em 11 a 11. Com ponto de saque, os italianos fizeram 13 a 11 e Renan pediu tempo. No segundo tempo técnico, a Itália vencia por 16 a 13. No ponto de saque de Lipe, a seleção verde e amarela encostou no placar: 16 a 17. O adversário voltou a pontuar bem e Renan parou o jogo em 16 a 20. A equipe brasileira reagiu e, com Wallace, fez 20 a 21. O adversário pediu tempo. No bloqueio de Lucão, 22 a 22. Com Lipe, o Brasil virou (23 a 22). A reta final do set foi bastante disputada e a seleção brasileira venceu por 26 a 24. 

A Itália saiu na frente no set mais curto e o Brasil respondeu com Maurício Borges explorando o bloqueio adversário. Os italianos colocaram dois de vantagem em 4 a 2 e, com Zaytsev, fizeram 6 a 3. Renan pediu tempo. Com dois pontos de saque de Gianelli, o adversário brasileiro marcou 8 a 3. No bloqueio de Gianelli, a Itália fez 12 a 6. O técnico da seleção brasileira parou o jogo com pedido de tempo. No final, vitória italiana por 15 a 8. 

“Nós jogamos muito bem ontem, contra o time da Sérvia, o nosso saque funcionou, e hoje não fomos tão bem. Esse é um campeonato muito longo e a nossa seleção precisa de todos os jogadores. Esse revezamento é natural, são trocas que fazem parte para dar ritmo de jogo a todo mundo”, analisou o central Maurício Souza. 

“A Itália fez uma partida brilhante. Nos poucos momentos em que conseguimos forçar o saque, eles souberam jogar com bolas altas. Agora vamos rever esse jogo para saber onde temos que melhorar. Um ponto é o sistema de bloqueio e defesa, que precisa evoluir. Sabíamos que eles não enfrentam o bloqueio, que entram explorando, e são coisas que temos que ajustar (...) Pontuar é sempre bom, só que nós queremos vencer. Jogamos para isso. Claro que quando mexemos na estrutura do time, é preciso ajustar algumas peças. A partir do quarto set, decidimos colocar em quadra os jogadores que começaram ontem, mesmo com o cansaço, não só pela intensidade do jogo, mas pelo lado emocional”, disse o técnico Renan Dal Zotto. 

Equipes:

Brasil: Bruninho, Evandro, Isac, Lucão, Maurício Borges, Douglas e Thales (líbero)
entraram: Léo, William, Wallace, Lipe e Maurício Souza
técnico: Renan Dal Zotto

Itália: Gianelli, Zaytsev, Cester, Anzani, Juantorena, Randazzo e Colaci (líbero)
entraram: Parodi, Nelli, Antonov e Mazzone
técnico: Gianlorenzo Blengin

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata

Com jogos ao vivo na web, Taça Prata começa nesta terça-feira em Itapetininga