(Superliga) Novidade nas semifinais, Sesc-RJ quer ir mais longe

Segundo colocado na fase classificatória da Superliga 2017/2018, o Sesc RJ chega à semifinal na sua primeira temporada na principal competição do país. Depois de passar pelo Vôlei Renata nas quartas de final, o time carioca terá o Sesi-SP como adversário na busca por uma vaga na grande decisão e começará a disputa, no próximo sábado, optando por jogar na casa do adversário. O objetivo do treinador Giovane Gávio e sua comissão técnica é estrear com vitória e ter a chance de fechar a série melhor de cinco jogos em casa 

Um dos destaques do Sesc-RJ nesta temporada, o ponteiro Maurício Borges chegou o time carioca em 2017, um ano depois de conquistar o título olímpico na mesma cidade. Após duas temporadas jogando na Turquia, o atacante está totalmente adaptado a equipe de Giovane Gavio e, com o foco totalmente voltado para a fase de semifinal, aprovou a decisão do comandante. 

“O Giovane fez uma escolha muito positiva em fazer o primeiro jogo fora. É algo importante para o nosso time, já que a nossa meta é começar bem, mesmo na casa do adversário, e depois, se tudo der certo, fechar diante da nossa torcida”, comentou Maurício Borges, que chama atenção para o perigo que seu time enfrentará diante do Sesi-SP. 

“Eles estão vindo em uma crescente boa, temos que tomar muito cuidado com isso, e, acima de tudo, é preciso colocar nosso ponto forte em prática, como estamos fazendo nos treinos de preparação. Nosso saque e nosso passe têm que funcionar. Fazer o nosso, como nos últimos jogos, é o mais importante neste momento decisivo”, declarou o ponteiro, que também faz questão de elogiar jogadores que estarão do outro lado da rede. 

“Não podemos deixar de falar que é necessário parar o Alan na saída. Isso é algo também muito importante, assim como sacar bem para tirar o passe da mão do William, que é um dos melhores no que faz”, destacou Borges, citando o oposto e o levantador do Sesi-SP.

Analise Sesc-RJ

Pontos Fortes: Apesar de ser a única equipe estreante nas semifinais, os jogadores tem experiência de sobra em decisões, lembrando que Maurício Borges e Maurício Souza foram campeões olímpicos em 2016. Além disso, o ponteiro João Rafael está em grande momento e pode ser um dos diferenciais da equipe carioca.

Pontos Fracos: Na reta final da fase classificatória, o time acabou perdendo alguns jogos e mostrou ser instabilidade. Questões extra quadra envolvendo a continuidade do projeto na próxima temporada podem atrapalhar, caso a comissão técnica não ‘blinde’ os atletas.

foto: Erbs Jr./Sesc-RJ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata

Com jogos ao vivo na web, Taça Prata começa nesta terça-feira em Itapetininga