(Superliga) No tie-break, Sesi-SP bate Sesc-RJ e abre 1 a 0 na série semifinal

No primeiro jogo da série melhor de cinco da semifinal da Superliga 2017/2018 entre Sesi-SP e Sesc-RJ melhor para os paulistas, que venceram por 3 sets a 2, parciais de 25/20, 30/32, 21/25, 25/19 e 15/11, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Com isso, os comandados de Rubinho abrem 1 a 0 no confronto, que terá seu próximo embate na terça-feira, às 21h30min, na Jeunesse Arena. 

O Sesc RJ marcou o primeiro ponto do jogo com PV. No ace de João Rafael, a equipe carioca fez 3 a 1. Com Alan, o Sesi-SP empatou em 4 a 4. Com João Rafael pelo fundo meio, o Sesc RJ voltou a abrir vantagem: 7 a 4. Os donos da casa reagiram e, no bloqueio, assumiram o comando do placar em 11 a 10. Mais uma vez com Douglas Souza, desta vez no bloqueio, o Sesi-SP marcou 15 a 12 e Giovane pediu tempo. Alan ainda marcou 16 a 13. Com Lipe duas vezes, a equipe paulista chegou a 19 a 14, forçando o adversário a parar o jogo mais uma vez. Gustavão pontuou pelo meio e o Sesi-SP marcou 22 a 17. No final, vitória do Sesi-SP por 25 a 20. 

O Sesi-SP seguiu melhor e abriu 4 a 2 logo no começo do segundo set. Com Lipe, o time da casa colocou quatro de vantagem, abrindo 8 a 4. O Sesc RJ reagiu e reduziu a diferença no marcador, encostando em 7 a 8. Com Douglas Souza, o time da Vila Leopoldina abriu vantagem novamente, fazendo 13 a 10. No bloqueio de Lucão, o Sesi-SP marcou 15 a 13. O Sesc RJ buscou e, depois de bom saque de Maurício Borges, empatou em 16 a 16. Rubinho pediu tempo. Com Tiago Barth bem no saque, a equipe carioca assumiu o comando do marcador e ainda abriu 19 a 17. O placar ainda foi a 22 a 20. No bloqueio de Franco, o Sesi-SP empatou: 22 a 22. O set seguiu bem disputado e longo. No final, vitória carioca no ponto de saque de Maurício Borges: 32 a 30. 

No bloqueio de Thiaguinho, o Sesc RJ fez 3 a 2 logo no começo do terceiro set. Alan colocou o Sesi-SP encostado no placar em 4 a 5. A parcial seguiu disputada ponto a ponto e as equipes empataram em 6 a 6. Com dois pontos de saque seguidos de Maurício Borges, a equipe carioca abriu vantagem, fez 10 a 7, e Rubinho pediu tempo. Alan definiu e empatou o set em 12 a 12. Com Renan, o Sesc RJ chegou a três de vantagem: 16 a 13. Com ponto de bloqueio de Lipe, o time da casa deixou tudo igual em 17 a 17. O time do Rio de Janeiro passou a pontuar mais, esteve no comando do set e, quando marcou 24 a 21, Rubinho pediu tempo. No final, o Sesc RJ virou o jogo e venceu por 25 a 22. 

No bloqueio de Gustavão, o Sesi-SP abriu dois (4 a 2). Na largadinha de Renato, o time da casa aumentou a diferença no placar, marcando 7 a 3 e forçando o técnico Giovane a pedir tempo. Lipe colocou o dobro de pontos em 8 a 4. O Sesc RJ reagiu e, com Japa, encostou no marcador: 9 a 10. A vantagem paulista esteve em dois em 12 a 10 e o time carioca deixou tudo igual em 12 a 12. Embalado, Lipe marcou 16 a 12, forçando Giovane a parar o jogo. Os donos da casa mantiveram boa vantagem, chegando a 21 a 14 com Alan explorando o bloqueio adversário. No ace de Alan, 23 a 14. O Sesi-SP seguiu melhor e fechou em 25 a 19. 

Com as parciais empatadas em 2 a 2, o quinto set também teve empate em 2 a 2. Lucão desempatou com ponto de bloqueio, fazendo 3/2 para o Sesi-SP. Empate em 4 a 4. O time da casa teve dois de vantagem depois de ponto de saque de Lucão: 7 a 5. Lipe marcou 8 a 5 e ampliou a vantagem na troca de quadra. João Rafael reduziu a diferença para 7 a 9. O Sesc RJ buscou e, com João Rafael pontuando bem, encostou em 9 a 10. Os donos da casa abriram 12 a 9. Depois de muita disputa, o Ses-SP fechou o set decisivo em 15 a 11. 

“É a primeira Superliga que eu jogo de titular, o Sesi-SP me deu essa oportunidade, estou muito feliz e acho que estou aproveitando bem. Ganhamos os três jogos que fizemos contra ele nesta temporada, mas isso não quer dizer nada. Hoje foi 3 a 2, decidido no finalzinho. Temos que ver o que acertamos, erramos e trabalhar porque terça-feira tem mais”, disse o oposto Alan. 

“É importante sair ganhando, em casa, e o jogo demonstra o equilíbrio que está sendo a Superliga. Dentro de casa é sempre importante vencer, mas ganhamos uma de cinco partidas possíveis. O nosso time está de parabéns, e para chegar a uma final e ser campeão tem que ter a atitude que tivemos hoje. Soubemos jogar um jogo bem difícil e estou muito feliz”, disse o levantador William. 

“Faltou um pouco mais de paciência nesse tie break e no set anterior, mas a série é longa, temos que estudar um pouco mais e ver o que erramos e buscar o nosso melhor sempre. A equipe do Sesi-SP está de parabéns e agora vamos para o Rio para dois jogos em casa”, concluiu o ponteiro Maurício Borges. 

Equipes:

Sesi-SP: William, Alan, Gustavão, Lucão, Douglas Souza, Lipe e Murilo (líbero)
entraram: Evandro, Franco, Piá e Renato
técnico: Rubinho

Sesc-RJ: Thiaguinho, PV, Tiago Barth, Maurício Souza, João Rafael, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Renan, Everaldo e Japa
técnico: Giovane Gávio

foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio