(Superliga) Sesc-RJ leva susto em pleno Rio de Janeiro, mas supera JF Vôlei

Fechando a 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o Sesc-RJ levou um susto, mas venceu o JF Vôlei por 3 sets a 2, parciais de 24/26, 21/25, 25/21, 25/20 e 15/12, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Com o resultado, a equipe carioca segue na vice-liderança, agora com 47 pontos, enquanto o time mineiro chegou aos cinco pontos, mas acabou caindo para a lanterna da competição.

Independente de jogar na casa do adversário, o JF Vôlei entrou em quadra disposto a fazer um bom jogo e para isso forçou bastante o saque. Com grande atuação do oposto Emerson, que anotou 21 pontos durante toda a partida, os visitantes conseguiram equilibrar as ações e venceram o primeiro set nos detalhes por 24 a 26. Na segunda parcial, os mineiros mantiveram o ritmo, enquanto o Sesc-RJ acabou caindo de produção. Sem muita agressividade, os donos da casa viram os comandados de Henrique Furtado abrirem vantagem e fecharem por 21 a 25.

Com 2 sets a 0 contra, o Sesc-RJ precisava reagir de qualquer maneira e foi neste momento que o ponteiro João Rafael e o oposto Renan tomaram conta da partida e viraram referências ofensivas para o levantador Thiaguinho. Com mais qualidade no side-out e aproveitando os contra-ataques, os cariocas fecharam em 25 a 21. No quarto set, a história praticamente se repetiu, com os donos da casa dominando mais as ações e mesmo com o JF Vôlei tentando se aproximar do placar, os comandados de Giovane Gavio fecharam em 25 a 20.

No tié-break, a maior experiência dos jogadores do Sesc-RJ falou mais alto. Apesar dos jovens atletas do JF Volei disputarem cada bola como se fosse a ultima, os donos da casa tinham total domínio do set. No final, com certa tranquilidade, os cariocas administraram o placar e fecharam a virada da partida com 15 a 12.

“O jogo foi muito bom para o nosso time. Começamos muito abaixo, com pouca agressividade, e eles começaram jogando muito bem. Não conseguimos parar o adversário e eles colocaram 2 a 0. A grande virtude foi ter conseguido sair dessa situação e revertido o placar. A equipe se juntou, se fortaleceu e buscou o melhor para sair daquela situação. Na hora de escolher o melhor do jogo, tentei usar de uma decisão mais fria. Tentamos segurar o cara durante toda a partida e não conseguimos. Achei que era o momento de mostrar quem foi o melhor. Nós jogamos bem do terceiro set em diante, mas ele foi bem o jogo todo”, explicou o técnico Giovane Gavio, ao entregar o prêmio de melhor em quadra para o oposto Emerson.

“Me sinto muito contente por esse prêmio principalmente porque não esperava. Jogar contra a equipe do Sesc RJ, que tem excelentes jogadores e como treinador um dos melhores do Brasil de todos os tempos, não é fácil. Receber o Troféu foi uma emoção muito grande. Fiquei muito feliz porque pude fazer uma excelente partida”, disse o oposto venezuelano de 24 anos.

“Achei uma atitude muito bacana, pouco comum, porém justa e que serve como uma motivação a mais para o jogador. O Emerson é um atleta de muita qualidade e extremamente dedicado, ainda jovem e com um grande futuro pela frente. Fez uma partida muito boa e esse reconhecimento foi importante para ele e para todos nós”, afirmou o técnico Henrique Furtado.

O Sesc-RJ volta as quadras n próximo sábado, às 15h, diante do Minas Tênis Clube, novamente no ginásio do Tijuca Tênis Clube No mesmo dia, às 18h, o JF Vôlei enfrenta o Copel Telecom/Maringá, no ginásio da UFJF.

Equipes:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Tiago Barth, Barreto, João Rafael, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Everaldo, Japa, PV e Maurício Souza
técnico: Giovane Gávio

JF Vôlei: Adami, Emerson, Raphael, Leozinho, Rômulo, Bruno e Juan Mendez (líbero)
entraram: Welligton, Athos, Felipe Hernandez, Matheus e Ramme
técnico: Henrique Furtado

foto: Sesc-RJ/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sem apoio e problemas de estrutura, Rádio Clube/AVP decide fechar as portas

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata