(Copa Brasil) Sada/Cruzeiro derrota Sesc-RJ e avança para a decisão

No primeiro jogo válido pelas semifinais da Copa Brasil, o Sada/Cruzeiro venceu o Sesc-RJ por 3 sets a 1, parciais de 25/17, 20/25, 25/21 e 25/23, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Na decisão, que ocorre sábado, às 21h30min, no mesmo local, o time mineiro vai encarar o Sesi-SP, que eliminou o atual campeão EMS Taubaté/Funvic.

Depois de uma bola bastante disputada, o Sesc RJ abriu o placar da parida. Após bom saque de Barreto, o time carioca marcou 3 a 1. Com Evandro, o Sada/Cruzeiro chegou ao ponto de empate em 5 a 5. No ace de Evandro, 7 a 6. O time mineiro abriu dois de vantagem em 11 a 9. Com Renan, o Sesc-RJ voltou a encostar em 12 a 13. Simon pontuou e o Sada voltou a abrir, desta vez fazendo 15 a 12, e Giovane pediu tempo. Na volta, o bloqueio da equipe mineira funcionou (16 a 12). Quando o grupo cruzeirense chegou a 20 a 13, o Sesc-RJ pediu mais um tempo. No ponto de saque de Maurício Borges, o time carioca reduziu a diferença para 15 a 20. E, com Isac, o Sada/Cruzeiro venceu o primeiro set por 25 a 17.

Assim como no primeiro, o Sesc-RJ saiu na frente. Em boa passagem de Renan pelo saque, a equipe do Rio de Janeiro abriu 5 a 1. O placar ainda foi a 8 a 3 e Marcelo Mendez pediu tempo. A vantagem foi ao dobro de pontos em 12 a 6. No ponto do saque de Barreto, o Sesc-RJ marcou 15 a 7. Quando, no bloqueio, a equipe carioca fez 16 a 7, Mendez parou o jogo de novo. O Sesc-RJ seguiu com boa vantagem no marcador em 18 a 10. Maurício Borges marcou 20 a 12. O Sada/Cruzeiro se recuperou, reduziu a desvantagem para 19/23, e Giovane pediu tempo. Logo depois, o Sesc-RJ fechou em 25 a 20.

O terceiro set começou com equilíbrio, com as equipes trocando pontos. No bloqueio de Evandro, o Sada/Cruzeiro abriu quatro de vantagem em 10 a 6. No bloqueio, a equipe cruzeirense chegou a 11 a 6 e Giovane pediu tempo. Com Renan, a equipe carioca marcou 9 a 12. Com Leal no ataque, o Sada Cruzeiro chegou a 16 a 11. No erro do adversário, a equipe mineira ampliou a diferença no marcador para 20 a 13. O Sesc RJ reagiu e marcou três pontos seguidos, chegando a 16 a 20. Neste momento, Marcelo Mendez pediu tempo. Na volta, bloqueio de Maurício Souza e 17 a 20. Um erro do adversário, e 18 a 20. O Sada voltou a abrir (22 a 18). Giovane pediu tempo. Com Evandro, o Sada/Cruzeiro fechou em 25 a 21.

O Sesc-RJ abriu 2 a 0 no começo do quarto set e o Sada/Cruzeiro empatou em 2 a 2. No erro do adversário, o time mineiro assumiu o comando do marcador, fazendo 4 a 3. Quando o placar foi a 5 a 3, Giovane pediu tempo. Na volta, ponto de saque de Leal e 6 a 3. O Sesc-RJ encostou em 7 a 8. O Sada Cruzeiro marcou 12 a 9 e o técnico da equipe carioca pediu tempo. A parada surtiu efeito e o Sesc RJ encostou em 11 a 12. Com dois bloqueios seguidos, o time do Rio de Janeiro passou a frente: 14 a 13. O set esteve igual em 16 a 16. O Sesc RJ abriu dois em 19 a 17. Com Evandro, o Sada chegou ao empate (19 a 19). O Sada virou o jogo em 21 a 20. No bloqueio de Isac, 22 a 20. Com Renan, o Sesc RJ empatou: 22 a 22. Novamente empate em 23 a 23. O Sada/Cruzeiro fez os dois últimos pontos da parcial e fechou o set por 25 a 23.

“A Fase Final da Copa Brasil tem quatro equipes muito fortes. Tenho certeza que no sábado será um grande jogo. Hoje o nosso saque funcionou muito bem nos sets que ganhamos e acredito que isso foi o diferencial da partida”, disse o oposto Evandro.

“Todo mundo já sabia que a semifinal seria um jogo muito difícil. Nosso time começou muito bem, concentrado, caímos um pouquinho no segundo set, principalmente no saque. Mas a gente soube superar e estamos em mais uma final da Copa Brasil. Espero que sábado a gente consiga jogar bem e vamos dar o nosso máximo para tentar sair daqui como campeão. Com certeza também será uma final muito difícil contra o Sesi, mas agora temos que descansar e pensar só no nosso jogo, porque se jogarmos como hoje, bem agressivos no saque, acredito que dê certo pra gente”, disse o ponteiro Leal.

“Mostramos que temos um time competitivo mesmo com alguns desfalques. Se tivéssemos trabalhado um pouco melhor as bolas difíceis poderíamos ter beliscado algo a mais no jogo. A equipe deles está de parabéns e desejo uma boa sorte aos participantes da final”, analisou o levantador Thiaguinho.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Isac, Simon, Filipe, Leal e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa, Alemão e Éder Levi
técnico: Marcelo Mendez

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Maurício Souza, Barreto, Maurício Borges, Japa e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Levi, PV, Alexandre e Everaldo
técnico: Giovane Gávio

foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sem apoio e problemas de estrutura, Rádio Clube/AVP decide fechar as portas

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Representando o Norte e o Amazonas, AA Nilton Lins encara a Taça Prata