sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Com oito clubes, Superliga B começa dia 20 de janeiro e dará duas vagas a elite

Na última quinta-feira, em reunião realizada na sede da Confederação Brasileira de Vôlei, no Rio de Janeiro, foram definidos os últimos detalhes do regulamento e da tabela da próxima edição da Superliga B. Os representantes dos oito clubes participantes da competição estiveram presentes e deliberaram sobre o formato de disputa e datas dos jogos.

A 7ª edição da Superliga B terá início no dia 20 de janeiro e final prevista para 14 de abril. Na primeira fase, os oito times jogarão em turno único entre si, sendo que todos avançam para as quartas de final, com os confrontos definidos em cruzamento olímpico (1º x 8º, 2ºx7º, 3ºx6º e 4ºx5º). As quartas e as semifinais serão disputadas em série melhor de três partidas.

Outro aspecto diferente em relação às temporadas anteriores está na quantidade de clubes que ascendem à Superliga, que agora serão dois (campeão e vice). Na briga pelo título e por um lugar na elite do voleibol nacional estarão os seguintes times:

Botafogo (RJ): Com tradição e força de sua torcida, o Alvinegro já bateu várias vezes na trave para acender de divisão, sendo a última quando terminou em 3º na Taça Prata. Comandado por Mauro Lima, o grande destaque do elenco é o levantador Marcelinho.

Apan/Esferatur (SC): Atual campeão catarinense, o time de Blumenau conta com a experiência do oposto Bob e do levantador China, além do conhecimento do técnico André Donegá, que sabe carimbar jovens talentos da região. Recentemente faturou os Jogos Abertos de Santa Catarina.

UPIS (DF): Com foco na formação de atletas, a equipe de Brasília tem um time jovem e segue com a política de ‘pés no chão’, onde o técnico Flávio Thiessen é a principal referência. A expectativa é melhor a posição da edição passada, quando o time ficou na 6ª colocação.

MonteCristo/Artesanal (GO): O time goiano chega com mudanças no comando técnico, onde Paulo Martins, que será gestor, cedeu o lugar para Jonas Fonseca, enquanto Hiyalo Machado, ex-Clube Jaó, seu assistente. No elenco, vários jovens jogadores, com destaque para o ponteiro Artur Cabral, o líbero Matheus Andrade e o oposto Rodrigo Pernambuco.

Uberlândia Gabarito/Start Química (MG): Comandado por Manoel Honorato, o time mineiro vem se reforçando com jovens da base do Minas Tênis Clube, casos do central Ijuí, do levantador Mateus Winck e do ponteiro Erick). Além deles, as apostas estão no time que disputou recentemente os Jogos Universitários Brasileiros.

Vôlei Ribeirão Preto (SP): Campeão da Taça Prata, o time comandado por Marcos Pacheco chega como um dos favoritos a vaga, ainda mais com um time recheado de jogadores experientes. O levantador Jotinha, o oposto Leozão e o central Giovanni, são alguns desses nomes, enquanto o ponteiro Gabriel chama a atenção pela força ofensiva.

Vôlei Um Itapetininga (SP): Com boa estrutura, o time paulista chega para a Superliga B querendo um lugar na elite. O técnico Fabiano Magoo tem nas mãos jogadores interessantes, como o ponteiro Clinty, o levantador Élder e o central Will. Após um bom Campeonato Paulista – Divisão Especial e o vice da Taça Prata, o objetivo é subir para a elite.

Super Vôlei Santo André (SP): Comandado por Marcelo Madeira, o time do ABC paulista passou por uma forte estruturação e com apoio da prefeitura quer voltar aos velhos tempos. Recentemente faturou o Campeonato Paulista Sub-21, o que mostra o desenvolvimento do projeto e a qualidade de jogadores que vem por ai.

foto: Divulgação/CBV

Um comentário: