sábado, 28 de outubro de 2017

(Superliga) Com público recorde no La Salle, Sesi-SP bate o Lebes Canoas

Pela 3ª rodada da Superliga 2017/2018, o Sesi-SP não se intimidou com a torcida do Lebes Canoas e venceu por 3 sets a 0, parciais de 15/25, 20/25 e 17/25, no ginásio La Salle. O público (1.231 torcedores) fez sua parte e bateu o recorde do local, que durava desde 2013, porém com maior volume de jogo, o clube paulistano levou a melhor e agora assume a vice-liderança, com nove pontos.  

A partida iniciou equilibrada, com cada equipe forçando bastante o saque, com destaque para o central Aracaju: 3 a 5. Após boa sequência de saque do ponteiro Douglas Souza, o técnico Marcel Matz resolveu pedir tempo com 4 a 8 no placar. Com bloqueio pesado para cima de Eduardo, os visitantes abriram vantagem e chegaram a 5 a 13. O Lebes Canoas buscava uma reação, tanto que a inversão do 5-1 (entraram Conte e Abouba no lugar de Pedro e Leandro) ocorreu com 9 a 17. A torcida tentava incentivar o time gaúcho, porém o volume de jogo do Sesi-SP continuava intacto, sendo que com ace de Gustavão o placar era de 13 a 21. No final, os paulistanos apensar administraram o jogo para fazer 15 a 25.

O segundo set iniciou com bom saque de William e o ataque preciso de Alan, sendo que o Sesi-SP quebrava bem o passe dos gaúchos, com bolas de velocidade pelo meio: 2 a 6. O Lebes Canoas buscava a recuperação, mas o grande trabalho do levantador do time paulista dificultava o bloqueio dos gaúchos: 5 a 8. Com Abouba, que havia entrado no lugar de Leandro, os donos da casa encostaram: 7 a 9, mas em uma bela bola de Douglas Souza pelo fundo o placar já era de 7 a 12. Com um saque de Lucão, que bateu na fita e enganou a linha de passe, o marcador anotava: 10 a 16, sendo que no momento que os donos da casa reagiam, os paulistas davam o troco: 13 a 19. Com boa sequência no saque de Rodrigues, o Lebes Canoas fez 16 a 19, obrigando Rubinho a pedir tempo. Na bela bola de Rodrigo Leandro, os gaúchos encostaram: 18 a 20, mas com dois bloqueios de Lucão, o placar era de 18 a 22. No final, os visitantes tiveram tranquilidade para fechar em 20 a 25.

O terceiro set iniciou com ‘pancadaria’ no saque e cada equipe disputando cada ponto como se fosse o último. Na tentativa de uma bola de segunda de William, o ponteiro Eduardo fechou a porta e deixou tudo igual: 4 a 4. Entretanto, o saque do Sesi-SP fazia a diferença, tanto que com Gustavão nesse fundamento, os visitantes fizeram 5 a 9. Com o placar se distanciando, o técnico Marcel Matz parou o jogo: 6 a 11. Na cravada de Lucão e na sequência com um ace dele, o Sesi-SP fez 8 a 14 e seguia abrindo vantagem no placar. A diferença só aumentava, tanto que no saque de William, os paulistanos chegaram a 13 a 22. O Lebes Canoas errava muito passe e tinha dificuldades no side-out, enquanto o Sesi-SP fazia seu jogo e acabou finalizando a partida com 17 a 25, após ataque de Franco.

“Acho que a gente está propondo a fazer é pensar bastante na nossa equipe. Como eu falei após o jogo de quinta-feira, o time está em construção. Individualmente temos bons jogadores, mas ainda não estamos jogando como time. Ainda falta alguma coisa para virarmos uma equipe. Estamos nos cobrando e na quinta-feira pegamos um time montado, e hoje o que tentamos fazer foi tentar na hora da definição ter o foco naquela bola, valorizando. Hoje muita coisa funcionou bem e o placar foi mais tranquilo que imaginávamos. Acho que tivemos mais qualidade de grupo do que individual”, disse o levantador William, que ainda falou sobre a rodagem do time.

“Talvez tenhamos o time mais homogêneo da Superliga. Vemos isso nos treinamentos e independente de quem esteja na quadra, o Rubinho pode mexer onde ele quiser, que todos jogam no mesmo nível. O (Renato) Pato hoje que foi o melhor jogador, estava na reserva, foi mega campeão na Cimed, ou seja, são jogadores acostumados com isso. Agora são seis que jogam e tem aquela vantagem e desvantagem, que todo mundo quer jogar e ao mesmo tempo todos entendem e independente de quem entrar vamos manter a qualidade”, concluiu.

“Acho que entramos na obrigação de ganhar. Estávamos com essa pressão em cima, era difícil enfrentar o Sesi-SP, com os campeões olímpicos, mas o nosso side-out não funcionou, pois o nosso passe não chegou. Agora acredito que agora é virar a página e teoricamente era um jogo que poderíamos perder (...) Para os próximos jogos buscamos pontuar, independente de três, dois ou um ponto”, declarou o ponteiro Rodrigo Leandro.

O Sesi-SP volta a quadra no sábado, dia 4, às 21h30min, para enfrentar o JF Vôlei, no ginásio da Vila Leopoldina. Já no domingo, dia 5, às 13h, o Lebes Canoas encara o EMS Taubaté/Funvic, no ginásio Abaeté. 

Equipes:

Lebes/Canoas: Pedro, Leandro, Rodrigo Leandro, Eduardo, Matheus, Michel e Palotti (líbero)
entraram: Bruno Conte, Abouba, Bitello e Rodrigues
técnico: Marcel Matz

Sesi-SP: William, Alan, Renato, Douglas Souza, Lucão, Aracaju e Pureza (líbero)
entraram: Evandro, Franco e Vaccari
técnico: Rubinho

foto: Fernando Potrick/Gama

Nenhum comentário:

Postar um comentário