domingo, 1 de outubro de 2017

(Mineiro) Minas Tênis Clube derrota Montes Claros e avança para a final

Com mais de quatro mil pessoas no ginásio Tancredo Neves, o Minas Tênis Clube não se intimidou e venceu o Montes Claros por 3 sets a 0, parciais de 25/20; 25/21 e 25/21, pelas semifinais do Campeonato Mineiro. Mesmo tendo feito uma campanha inferior ao adversário na fase classificatória, o time da capital foi superior em quadra e agora espera o vencedor do confronto entre Sada/Cruzeiro e JF Vôlei para disputar a decisão.

Como era esperado, o primeiro set começou bastante equilibrado com as duas equipes trocando pontos. Quando o Minas Tênis Clube abria dois ou três pontos, o Montes Claros logo empatava, com destaque para os bloqueios. A parcial seguiu empatado até os visitantes colocarem 20 a 17, o que obrigou o técnico Chico dos Santos a pedir tempo técnico. O Pequi Atômico sentiu e o time da capital chegou a fazer 23 a 18. Um momento de descontração fez o Montes Claros encostar: 23 a 20, obrigando o técnico Ney Tambeiro a pedir tempo. Os jogadores do Minas Tênis Clube assimilaram as orientações e venceram por 25 a 20.

O segundo set também começou bastante disputado com o placar apertado até o Minas Tênis Clube abrir em 9 a 6 e forçar um tempo técnico de Chico dos Santos. Na volta, a equipe da casa, com o apoio da torcida, deixou tudo igual: 13 a 13. A equipe da capital mineira voltou a liderar o placar e o Pequi Atômico sempre buscava reação o que causou a substituição de um ponteiro por outro. Saiu Vivalde e entrou Luan para ajudar na recepção. Mesmo assim, o Minas Tênis Clube abriu 18 a 14, o que forçou nova parada de Chico dos Santos. Novamente, o time da casa mostrou reação e encostou no placar: 19 a 17, o que fez Nery Tambeiro parar o duelo. Na volta, os visitantes seguraram a diferença e fecharam em 25 a 21.

O terceiro set começou com o Minas sacando balanceado e abrindo em 4 a 1, mas os donos da casa reagiram e empataram o jogo. Os visitantes voltaram a abrir dois pontos e o técnico Chico dos Santos substituiu o ponteiro Luan por Vivalde. Mesmo assim, a diferença entre as duas equipes era de 7 a 4 e tempo técnico foi pedido pelo Pequi Atômico. O Minas continuou a mandar no jogo e abriu em 10 a 6. O placar estava em 19 a 16, quando o técnico da casa pediu novo tempo. No final, o Minas Tênis Clube teve tranquilidade para se manter a frente do placar e fechar em 25 a 21.

“Eu estou conseguindo vir em uma crescente nos jogos, joguei bem nas partidas que tivemos aqui e em Juiz de Fora. Estou evoluindo bem no campeonato, quero melhorar ainda mais até a final. O Minas é uma equipe de tradição, e tem a tradição de ter a final Minas e Sada Cruzeiro. Vamos tentar fazer de tudo para sair da final com o título”, declarou o oposto Felipe Roque.

foto: Ascom/MOC VÔLEI

Nenhum comentário:

Postar um comentário