terça-feira, 31 de outubro de 2017

Leal tem liberação antecipada e pode atuar na Seleção Brasileira em março

Nesta terça-feira, a Federação Internacional de Vôlei enviou um oficio para a Confederação Brasileira de Vôlei informando que o ponteiro Yoandy Leal, do Sada/Cruzeiro, está liberado para defender a Seleção Brasileira a partir de março de 2018. A notícia pega todos de surpresa, pois anteriormente o prazo dado pela FIVB era apenas para 2019.

“Foi uma surpresa bastante positiva para todos nós. O que muda é que vamos passar a olhar o Leal com outro olhar, mas a partir deste momento ele é forte candidato, sim, a uma convocação. Ele é um grande ponteiro. Isso é inegável, é um grande jogador. Eu tive a oportunidade de bater um papo rápido com ele. Ele demonstrou muita felicidade, muita motivação. Vamos mostrar muita atenção nas atitudes, nos desempenhos. Mas ele é um grande jogador, isso é inegável”, disse o técnico Renan dal Zotto, em entrevista ao Globoesporte.com.

Leal, que é cubano e chegou para defender o Sada/Cruzeiro em 2012, acabou se naturalizando brasileiro em 2015. A partir daí se iniciou um trabalho da Confederação Brasileira de Vôlei, junto com o clube mineiro para viabilizar todo o processo, incluindo a liberação da federação cubana de vôlei. Aos 29 anos, o ponteiro já conquistou todos os títulos possíveis com a camisa da Raposa, e o principal título com Cuba foi o vice-campeonato do Mundial em 2010.

Vale destacar que Leal não é o primeiro cubano a ter condições de atuar por outra seleção. Os ponteiros Juantorena e Leon já vestiram as camisas das seleções da Itália e Polônia, respectivamente.

foto: Renato Araujo/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário