quinta-feira, 12 de outubro de 2017

A experiência de vivenciar o voleibol por outro ângulo

Você que acompanha o Espaço do Vôlei e assiste aos jogos das seleções ou dos clubes nos ginásios ou televisão já parou para pensar no papel da arbitragem? Eu, Fernando Soares, jornalista responsável por esse blog, passei o último mês envolvido em um curso para árbitro realizado pela Federação Gaúcha de Vôlei. Entre estudo das regras, aula prática e participação como estagiário no Dia Estadual do Vôlei, posso garantir que valeu a experiência. 

Minha intenção em fazer o curso foi conhecer ainda mais o esporte e ter a chance de observar o jogo de outro ângulo. Entender as responsabilidades do 1º e 2º árbitros, o posicionamento dos juízes de linha e a atenção necessária para ser apontador de súmula me fizeram compreender a importância de tanta gente envolvida para que a partida ocorra da maneira correta. Ao meu lado, mais de 20 pessoas se dedicaram e, de alguma forma, estão ainda mais ligadas ao voleibol.

A oportunidade de ouvir e aprender com nomes reconhecidos da arbitragem internacional, me fez prestar mais atenção em certas situações do jogo e a leitura dos lances acaba ficando condicionada ao conhecimento adquirido. Em um esporte que se muda regras seguidamente para valorizar o espetáculo, entender o porquê de uma marcação é mais importante do que apenas saber se o ponto foi para o time A ou B.

Em meio ao curso tive duas experiências que me chamaram a atenção. Durante uma aula prática no ginásio do Grêmio Náutico União, em Porto Alegre, subi pela primeira vez em uma cadeira de 1º árbitro e posso garantir, mesmo não sendo algo oficial, a responsabilidade por estar ali foi grande. Outro momento foi ter apitado no Dia Estadual do Vôlei, em Nova Petrópolis, onde várias partidas de mini vôlei foram realizadas e tive a oportunidade de sentir, pelo menos um pouco, a pressão que um árbitro recebe, seja dos atletas ou da torcida.

Em resumo posso garantir que ser árbitro é um constante aprendizado, onde controle emocional e conhecimento das regras são fundamentais para se fazer um bom trabalho. Meus colegas e eu ainda temos muito para percorrer, mas acredito que em breve alguns estarão apitando, acertando, errando, sendo xingados ou passando despercebidos pela torcida. 

foto: Arquivo Pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário