domingo, 18 de junho de 2017

FIVB estuda mudanças para a Liga Mundial já na próxima edição

A Federação Internacional de Vôlei pretende modificar a fórmula de disputa da Liga Mundial já para a edição 2018. A competição deve contar com 16 seleções, ou seja, quatro a mais, do que atualmente, e será mais longa, passando de três etapas classificatórias para cinco, com cada equipe enfrentando pelo menos uma vez cada rival.

Dos 16 participantes, doze seleções teriam garantia de permanência por sete anos (Brasil, Estados Unidos, Argentina, Itália, Polônia, Sérvia, França, Alemanha, Rússia, Irã, China e Japão), enquanto outras quatro (Canadá, Bulgária, Austrália e Coréia) teriam vaga garantida apenas no próximo ano. Sendo assim, o ranking já não parece tão importante para a FIVB.

Se atualmente tivéssemos o rebaixamento, a Itália (tradicionalíssima na Liga Mundial) cairia para o Grupo B. Com essa mudança, a equipe européia segue na elite, mesmo fazendo uma campanha péssima nesta edição. Por outro lado, a Bélgica (revelação de 2017) não teria vaga nem entre as quatro seleções que ficariam com uma vaga no próximo ano.

A FIVB ainda não definiu oficialmente a mudança, mas já se sabe que o atual regulamento será alterado para ficar mais atrativo. A definição deve ocorrer durante a fase final deste ano, que acontece de 4 a 8 de julho, na Arena da Baixada, em Curitiba.

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário