quarta-feira, 21 de junho de 2017

CBV e Associação dos Clubes de Vôlei devem compartilhar gestão da Superliga

Na última terça-feira, a diretoria da Confederação Brasileira de Voleibol recebeu representantes da Associação dos Clubes de Vôlei para tratar da edição da Superliga 2017/2018. Além da apresentação do novo CEO da entidade, Radamés Lattari, vários temas foram abordados, como calendário da próxima temporada, sistema de disputa dos playoffs, transmissões na web, sistema de auxílio à arbitragem com vídeo e propriedades comerciais. Eles ainda serão levados à plenária com todas as equipes a ser agendada nos próximos meses.

O encontro tratou de temas Pelo lado dos clubes estiveram presentes Vittorio Medioli e Flávio Pereira, do Sada/Cruzeiro, Ricardo Navajas, do Funvic/Taubaté e Andrey Souza, do Montes Claros Vôlei. Pela CBV estiveram presentes: o presidente Walter Pitombo Laranjeiras, o presidente da Federação Mineira de Voleibol, Tomás Mendes, o CEO Radamés Lattari, o diretor comercial Douglas Zarlotin Jorge, o diretor administrativo e financeiro Hans van Deursen, o Superintendente de competições de vôlei de quadra Renato D’Ávila e a gerente de competições de vôlei de quadra Cilda D’Angelis.

“O nosso caminho é do entendimento e de sempre ouvir todos os setores em busca de melhorias às nossas competições. A CBV está aberta ao diálogo e permanentemente interessada no desenvolvimento do voleibol e conta com o apoio dos clubes”, destacou o presidente da CBV, Walter Pitombo Laranjeiras.

O que se fala é que as duas partes saíram satisfeitas e confiantes no futuro da próxima Superliga e que existe a possibilidade de ocorrer uma gestão compartilhada da competição. Ainda não é oficial, mas a decisão pode ocorrer em melhor de três partidas e não mais em final única, enquanto a intenção é ter todos os jogos transmitidos pela televisão ou via web.

foto: CBV/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário