quinta-feira, 22 de junho de 2017

Após período na Europa, Alan volta ao Brasil para atuar no Montes Claros

Considerado um dos líberos mais talentosos da sua geração, Alan está de volta ao Brasil para defender o Montes Claros na temporada 2017/2018. Após duas temporadas no voleibol romeno, o que não falta é experiência ao jogador de 36 anos, que além de ter atuado em grandes clubes brasileiros, como Brasil Kirin, Ulbra e Cimed, esteve de 2007 a 2010 na Rússia, onde defendeu Dynamo Moscou e Belogorie Belgorod.

“É uma torcida que empurra o time. Tive a oportunidade de jogar contra, mas posso dizer que hoje tenho ela a meu favor. Do time montado para a temporada 2017/2018 posso dizer que é uma equipe mais experiente, que tem um pouco mais de bagagem. O time foi feito para chegar a semifinal da Superliga, mas sempre digo que o trabalho faz tudo e com isso podemos tentar chegar a esse objetivo”, declarou Alan, a respeito do que sabe sobre o Montes Claros Vôlei.

“Foram dois anos de muito aprendizado. Um campeonato que está em evolução, crescendo a cada ano. Meu primeiro ano foi muito bom, pois chegamos na final da Copa da Romênia, ficando com o vice e no quarto lugar no campeonato nacional (...) O segundo ano foi muito difícil, pois o time teve problemas financeiros e fiquei praticamente a temporada toda sem receber, mas foi um time que acolheu a mim e minha família muito bem”, declarou o líbero sobre as duas temporadas com a camisa do Stiinta Explorari Baia Mare.

Natural de Uberlândia, Alan já atuou profissionalmente em vários estados (RS, SC, PR, SP, RJ), mas só agora terá a oportunidade de vestir a camisa de um clube mineiro. Acostumado a grandes competições, o jogador entende que essa bagagem cria mais responsabilidade algo muito ligado ao currículo, mas também ao dia a dia do seu trabalho.

“Em 2007 fui contratado pelo Sada/Betim, mas tive uma proposta irrecusável da Rússia. Agora hoje vou ter o prazer em dizer que irei jogar no meu Estado e jogar o Campeonato Mineiro, que a cada ano fica mais forte (...) Se eu não me engano essa é minha 16ª edição de Superliga e fui campeão na temporada 2002/2003. Tenho orgulho de dizer que fui campeão russo, pelo Dynamo de Moscou. Dessa responsabilidade jamais irei fugir, pelo fato de ter disputado várias Superligas e ter jogado dois anos no voleibol russo. Isso cria sim uma responsabilidade porque o projeto de Montes Claros está em uma crescente e Andrey (Souza, gestor do projeto) foi quem depositou total confiança no meu trabalho e abriu as portas para eu poder voltar a jogar no meu país. A torcida pode esperar muito empenho e dedicação em todos os treinos e jogos”, afirmou Alan.

Além de todos os clubes que atuou Alan também vestiu por inúmeras vezes a camisa da Seleção Brasileira, tendo conquistado o ouro do Campeonato Mundial (Itália/2010), na Liga Mundial (Katowice/2007) e no Sul-Americano (Cabo Frio/2013). No retorno ao Brasil, e após a aposentadoria de Serginho (que dominou a posição por vários anos), ser lembrado por Renan Dal Zotto não deixa de ser uma meta.

“Todo jogador sonha em defender seu país, tive algumas oportunidades de poder defender a seleção. Meu objetivo hoje é poder estar 100%, fisicamente. Para poder representar Montes Claros e acredito que todo trabalho bem feito, tem sua recompensa. Essa é minha meta porque fui muito prejudicado com minha lesão no tendão de Aquiles (2009), mas trabalhando é que aparecem os resultados”, concluiu Alan.

foto: Deák László Photography

Nenhum comentário:

Postar um comentário