quarta-feira, 31 de maio de 2017

Com orçamento em aberto, Campinas inicia sondagem do mercado

No dia 10 de junho termina o contrato de patrocínio da Brasil Kirin com o time de Campinas e ele não será renovado. A multinacional Heineken (nova detentora da companhia de bebidas) irá rever sua estratégia de marketing no país e já sinalizou para o fim da parceria. Entretanto, o projeto de vôlei continua e a diretoria do clube paulista está organizando suas cotas para fechar o orçamento da temporada 2017/2018.

Com alguns parceiros já acertados e com outros em tratativas, o time de Campinas inicia uma sondagem detalhada no mercado interno e externo. Horacio Dileo, que levou a equipe as semifinais da Superliga 2016/2017, seguirá como treinador, enquanto o central Vini (muito identificado com o projeto), o ponteiro Diogo e o levantador Rodriguinho já tiveram as primeiras conversas para continuarem no elenco.

Sem nada oficial, o Campinas, através do gestor Fernando Maroni, trabalha sem presa para viabilizar uma equipe competitiva. Mesmo com as saídas do campeão olímpico Maurício Souza e do líbero Tiago Brendle, ambos para o Sesc-RJ, os nomes especulados são bem interessantes, como o do oposto Leandro Vissotto, que na última temporada estava no Monza, da Itália, e do ponteiro Mão, ex-Minas Tênis Clube.

Nos últimos dias, outros nomes surgiram como possíveis reforços do Campinas, casos do central Salsa (Montes Claros) e do líbero argentino Facundo Santucci, que estava no Noliko Maaseik, da Bélgica, mas se destacou com as camisas do Toulouse, da França, e principalmente no Boca Juniores (de 2000 a 2013).

foto: Monza/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário