sábado, 15 de abril de 2017

(Superliga B) Sesc-RJ vence Clube Jaó/Universo, fatura título e vaga na elite

Considerado favorito ao título antes mesmo do começo da Superliga B, o Sesc-RJ confirmou as previsões ao vencer o Clube Jaó/Universo na decisão por 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/20 e 25/23, no ginásio da Hebraica. A campanha do time carioca foi quase impecável, conquistando doze vitórias e perdendo apenas uma partida, sendo que além da taça, o time de Giovane Gavio garantiu vaga na elite nacional.

Os donos da casa começaram forçando o saque e atrapalhando o passe dos adversários, que também tiveram dificuldades na virada de bola. Com o erro de ataque de Renan, o Sesc-RJ abriu 10 a 4. A linha de passe do Jaó continuou errando muito e com uma bola de graça, Tiago Barth fez 15 a 7 para o time carioca. O panorama não mudou na continuação do set, e, em mais um erro de ataque do Jaó, o Sesc-RJ fechou em 25 a 15.

Na segunda parcial o time goiano voltou mais concentrado e abriu uma pequena vantagem que não durou muito. Com um bloqueio de Tiago Barth o Sesc-RJ tomou a dianteira do placar 5 a 4. O Jaó Universo recuperou a concentração, impôs o ritmo e retomou o controle das ações no set, e abriu 13 a 15 com Ramon. Embalada pela torcida, a equipe do Sesc-RJ reverteu a situação desfavorável, principalmente com jogadas de meio. Com o central Victor Hugo os donos da casa fizeram 18 a 16. O set terminou com ponto de saque do oposto Paulo Victor, 25 a 20 para o Sesc-RJ.

O terceiro set também começou equilibrado com os dois times mantendo um bom volume defensivo. O Jaó assumiu a liderança no contra-ataque de Ramon, 6 a 7. Com o bloqueio de Tiago Barth, o Sesc-RJ passou a frente, 13 a 12. O time visitante não se deixou abater e melhorou o saque e a virada de bola. Com o contra-ataque de Alan o Jaó fez 16 a 19. O oposto PV foi para o saque e dificultou a vida do adversário, e, no bloqueio de Tiago Barth, os donos da casa empataram em 21 a 21. E com o próprio Paulo Victor veio a virada, 22 a 21. O ponto final veio com Tiago Barth pelo meio, 25 a 23.

“A vitória foi merecida. Treinamos pesado ao longo de muitos meses, antes mesmo de começarmos a temporada. E nessa última semana o nosso pensamento estava todo voltado para esta decisão. Estamos muito felizes por esse resultado. Eu sou um atleta profissional, estamos aqui para fazer o nosso melhor, então a felicidade de ser campeão é a mesma sendo a Superliga B, a C ou o campeonato do bairro. Para mim, é uma grande vitória, é uma felicidade imensa ter conquistado mais um título na minha carreira”, disse o oposto Paulo Victor.

“Tínhamos uma tensão pois um resultado diferente do que tivemos aqui seria considerado um fracasso. Mas construímos esta vitória, não veio fácil. Fizemos um trabalho com muita dedicação. É sempre bom ganhar. Mesmo tendo passado por tantos momentos gloriosos na carreira, quando a gente consegue sucesso em um projeto a sensação de recompensa é sempre muito boa”, afirmou o técnico Giovane Gavio.

“Este é apenas o início do nosso projeto em Goiânia. Sabemos que precisamos melhorar ainda a nossa estrutura, temos muito o que crescer. Mas temos a certeza que vamos continuar o trabalho. O voleibol tem uma grande visibilidade. Então temos certeza que vamos crescer. Temos agora que nos voltar para a Taça Ouro, mas temos que seguir firmes”, declarou o técnico Hítalo Machado.

foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário