sábado, 25 de março de 2017

Clubes aprovam a manutenção do ranking para a próxima temporada

Depois de muita discussão em relação ao ranking feminino da Superliga, na última sexta-feira, em São Paulo, uma reunião com representantes dos dez clubes classificados para a Superliga masculina 2017/2018, além do vice-presidente da Comissão de Atletas, eleito pelos próprios jogadores, Gilmar Teixeira (Kid), definiu novas diretrizes para o ranking que será utilizado na próxima temporada. Por votação ficou definida a manutenção do ranqueamento dos atletas.

Uma novidade no ranking para a próxima temporada é a soma de pontos possíveis por clube. O limite se mantém em 40 no máximo, mas cada equipe não pode somar menos de cinco pontos. A quantidade de até três atletas de sete pontos por clube também fica mantido. Outro detalhe que segue como nas edições anteriores é o total de atletas estrangeiros, que continua dois por time.

A votação foi apertada, mas mostra que os clubes estão divididos nesta questão já que Funvic/Taubaté, Minas Tênis Clube, Bento Vôlei/Isabela, Copel Telecom/Maringá, Montes Claros e Brasil Kirin votaram a favor do ranking, enquanto Sada/Cruzeiro, Sesi-SP, Lebes/Gedore/Canoas e JF Vôlei, além da comissão de atletas votaram contra a manutenção do ranking.

“No Brasil cada um pensa por si! Não temos uma mentalidade solidária não sabemos agir em conjunto em prol de um todo”, declarou o levantador William sobre o caso nas redes sociais.

“Essa votação do ranking mostra como estamos divididos. Não temos uma igualdade de pensamento em prol de um bem maior que são nossos atletas”, afirmou Gustavo Endres, também em uma rede social.

O ranking causa muita discussão, tanto que no feminino, as atletas de pontuação máxima podem ingressar na justiça contra a decisão da semana passada. Já no masculino, a expectativa agora é para ver a tabela com a pontuação de cada jogador e se teremos situações como a de Wallace na temporada passada que deixou o Sada/Cruzeiro por ser um atleta de sete pontos e o clube já ter estourado sua cota máxima.

foto: Divulgação

Um comentário:

  1. Edmar Ananias Silva26 de março de 2017 14:40

    Essa manutenção do ranking para a próxima temporada é por que o Funvic Taubaté e demais tem inveja do Sada Cruzeiro. Ranking é ridículo. O Sada Cruzeiro não contrata os atletas com 7 pontos com fez o Taubaté. Mas evoluiu os atletas até esse nivel.

    ResponderExcluir