sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

(Sul-Americano) Brasileiros e argentinos estão garantidos nas semifinais

Na última rodada da fase classificatória do Campeonato Sul-Americano de Clubes, o Sada/Cruzeiro não teve dificuldades para vencer o Bohemios, do Uruguai, por 3 sets a 0, parciais de 25/17, 25/12 e 25/12, no ginásio Tancredo Neves. Com o resultado, a equipe celeste manteve o 100% de aproveitamento e ficou com a liderança do Grupo A, que ainda teve o Montes Claros classificado em segundo.

Mesmo precisando ganhar para garantir o primeiro lugar da chave, o técnico Marcelo Mendez resolveu descansar parte do elenco principal, já pensando na fase final do torneio. Com isso jovens como o líbero Vanderson, o central Pedrão e o oposto Alan jogaram como titulares e deram conta do recado.

“Eu entrei em quadra em uma partida da Superliga, enquanto o Leal recebia um atendimento, mas só fiz um fundo de quadra e saí para ele voltar. E hoje o Beto (assistente técnico) conversou comigo de manhã, disse que o Marcelo iria rodar o time e que tinha chance de eu entrar. Passei o dia inteiro com esse frio na barriga, já que entraria para defender o maior time do Brasil e do mundo atualmente. A pressão é muito grande, mas todo mundo me ajuda muito e me deixaram tranquilo. Foi muito legal jogar, ainda mais em uma competição internacional, acho que foi uma boa estreia”, contou Pablo, de 18 anos.

Pelo Grupo B, em duelo apenas para cumprir tabela, o Club Unilever, do Peru, bateu o San Martin, da Bolívia, por 3 sets a 0, parciais de 25/13,25/13 e 25/16. Já no clássico argentino, que vali a liderança da chave, o Personal/Bolívar derrotou a UPCN por 3 sets a 0, parciais de 25/19, 25/23, 25/19, que teve como destaque o oposto Thomas Edgar, que anotou 24 pontos.

Com esses resultados as semifinais serão um duelo Brasil x Argentina. Os dois confrontos ocorrem nesta sexta-feira, sendo que às 18h30min, o Sada/Cruzeiro encara a UPCN, enquanto às 20h30min, o Personal/Bolívar pega o Montes Claros. A decisão será no sábado, às 17h30min.

foto: Fredson Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário