quinta-feira, 27 de outubro de 2016

William: “Minha carreira foi muito mais além do que eu imaginava”

São mais de 50 títulos, sendo 23 só com a camisa do Sada/Cruzeiro. Este mês, em apenas 15 dias, foram dois: no dia 8, o heptacampeonato mineiro e no último domingo, o tricampeonato mundial de clubes. Para completar a comemoração após a vitória por 3 sets a 0 sobre o Zenit Kazan, da Rússia, El Mago ainda recebeu o troféu de MVP da competição. Tudo isso, dois meses após a conquista da medalha de ouro olímpica no Rio de Janeiro.

“Acho que a minha carreira foi muito mais além do que eu imaginava. Por mais que eu buscasse tudo isso, extrapolou todas as minhas expectativas. São muitos campeonatos, muitas finais, muitos títulos, especialmente, nesses últimos dez anos. Não poderia ser melhor e ainda quero continua nessa fase por mais alguns anos. Trabalho, dedicação, comprometimento, tudo isso envolve uma carreira vencedora e acho que foi isso que eu fiz nesses 20 anos”, afirmou William, que com a camisa do Sada/Cruzeiro não sabe o que é perder desde o dia 15 de fevereiro para a UPCN, da Argentina, na decisão do Sul-Americano de Clubes.

“É um time que, inicialmente, respeita demais a instituição, a marca Sada Cruzeiro, e que é comprometido e dedicado. Sabemos da cobrança e da importância que é vestir uma camisa de futebol em um país como o Brasil. Ganhar ou perder faz parte do esporte. A gente trabalha muito para ganhar sempre, mas entende que as derrotas fazem parte e vão acontecer. Cada ano fica mais difícil, mais vitrine, mais gente querendo jogar pedra. Mas é um time com profissionais de cabeça boa e o mais importante, que não perde essa vontade de ganhar”, afirmou o levantador e capitão do time mineiro.

Neste sábado, às 21h30min, William pode conquistar mais um título já que o Sada/Cruzeiro encara o Vôlei Brasil Kirin, em Fortaleza, pela Supercopa.

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário