domingo, 30 de outubro de 2016

(Supercopa) Sada/Cruzeiro ganha do Brasil Kirin e conquista título em Fortaleza

Com cinco mil pessoas presentes no ginásio do CFO, em Fortaleza, o Sada/Cruzeiro, de virada, venceu o Brasil Kirin por 3 sets a 1, parciais de 18/25; 25/18; 25/21 e 25/20, e conquistou a Supercopa. Com isso, o time celeste, que anteriormente levantou a taça do Mundial de Clube e o heptacampeonato mineiro, soma a incrível marca de três títulos em menos de um mês na temporada 2016/2017.

Evandro abriu o placar do jogo para a equipe do Sada/Cruzeiro. O time mineiro ainda abriu 2 a 0, mas, no ace de Diogo, o Vôlei Brasil Kirin empatou em 2 a 2. Com Ygor Ceará duas vezes seguidas, o time paulista assumiu o comando do marcador (4 a 3). O set seguiu com equilíbrio, com um de vantagem para o Brasil Kirin: 8 a 7. Novo empate em 10 a 10, e o Brasil Kirin conseguiu colocar dois de vantagem em 12 a 10. O placar, então, foi para 14/11 e o técnico Marcelo Mendez pediu tempo. O Sada/Cruzeiro reagiu e chegou ao ponto de empate em 14 a 14. Foi a vez de Dileo para o jogo. Em boa sequência de Rivaldo no saque, o time campineiro voltou a abrir (18 a 14) e depois fez 20 a 15. Com Rodriguinho bem no saque, o Brasil Kirin chegou a 24 a 17 e, com Rivaldo, fechou em 25 a 18.

O segundo set teve um início equilibrado, mas, quando o Sada/Cruzeiro abriu três pontos (7 a 4), o técnico do Brasil Kirin pediu tempo. Na volta, depois de bonita recuperação do central Isac, o time mineiro pontuou e fez 8 a 4. A equipe cruzeirense seguiu com boa vantagem. No bloqueio de Simón, chegou a 12 a 5. O Brasil Kirin buscou a reação e, com Ygor Ceará, reduziu a diferença para 14 a 10. A parcial foi menos disputada, com um pouco mais de tranquilidade para o Sada/Cruzeiro, que chegou a 18 a 13. O set seguiu favorável ao time mineiro (22 a 14). Sem dar chances ao adversário, o Cruzeiro fechou em 25 a 18.

O Brasil Kirin abriu 2 a 0 no começo do terceiro set, e, na sequência, fez 5 a 3. Em um potente ataque de Leal, o Sada/Cruzeiro encostou em 7 a 6. Na bola de segunda de Rodriguinho, o time de Campinas fez 9 a 8. O time mineiro, então, abriu vantagem em 14 a 11 e forçou o adversário a pedir tempo. O placar passou a ficar mais elástico e, contando com erro do time paulista, o Sada chegou a 21 a 15. O Brasil Kirin reagiu e fez 23 a 20. Mas, com Simón, o Sada fez 25 a 21.

O quarto set começou da mesma forma que o anterior, com o Brasil Kirin no comando do marcador. Com Leal, o Sada/Cruzeiro deixou tudo igual em 4 a 4. O time de Campinas voltou a pontuar bem e fez 7 a 5. Com Evandro, os cruzeirenses encostaram em 9 a 8. No bloqueio, o Sada chegou ao ponto de empate: 11 a 11. Depois, tudo igual novamente em 14 a 14. As equipes estiveram empatadas novamente em 16 a 16 e quando o Sada chegou a 19 a 16, Dileo pediu tempo. Na bola de segunda de William, 21 a 17. No final, vitória por 25 a 20.

“Estou muito feliz por esse terceiro título. A motivação de vencer e a mentalidade dos jogadores de ganhar permitiu que chegássemos a esse outro resultado. No começo da temporada traçamos todos os objetivos. E queremos vencer tudo o que disputamos. Jogamos sempre com nosso time titular, com todas as peças que temos. O nosso diferencial é muito trabalho, grandes atletas e essa vontade de vencer. Vamos descansar um pouco agora e no sábado que vem já temos a estreia fora de casa na Superliga”, afirmou o treinador Marcelo Mendez.

“A gente tem que comemorar sempre. Não é porque estamos ganhando muito que vamos banalizar. É difícil demais ganhar. O nosso suor é diário, é constante. A luta pra continuar no topo é mais difícil ainda. A cada dia que passa nosso time é mais conhecido e a vontade de ganhar permanece. Essa não foi a melhor semana de treino, muito em cima do Mundial, muitos eventos. Mas a gente tem na cabeça que na hora de jogar a coisa séria, e quando vestimos a camisa a gente veste pra ganhar”, disse o líbero Serginho.

“Sabíamos da eficiência deles e como seria difícil. O título não veio, mas saímos de cabeça erguida. Viemos para cá para tentar fazer um jogo equilibrado. Não abaixamos a guarda nenhuma hora e a vantagem que eles conseguiram durante o jogo foi por mérito deles. É claro que queríamos ter levado essa taça, mas saímos satisfeitos e animados para a sequência da temporada”, afirmou o ponteiro Ygor Ceará.

O Sada/Cruzeiro volta a quadra no próximo sábado, dia 5, às 14h, diante do JF Vôlei, no ginásio da UFJF, em sua estreia na Superliga 2016/2017. No mesmo dia, às 18h, o Brasil Kirin recebe o Caramuru/Castro, no ginásio Taquaral.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Evandro, Isac, Simón, Rodriguinho, Leal e Serginho (libero)
entraram: Filipe, Léo e Fernando Cachopa
técnico: Marcelo Mendez

Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Vini, Maurício Souza, Ygor, Diogo e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Jotinha, Bruno Temponi e Matheus
técnico: Horacio Dileo

foto: LC Moreira/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário