terça-feira, 11 de outubro de 2016

Reeleito até 2024, Ary Graça estuda limite de tempo nos jogos para agradar TV

No último dia 5, em congresso realizado em Buenos Aires, na Argentina, a Federação Internacional de Vôlei confirmou a reeleição de Ary Graça na presidência da entidade. O brasileiro, que assumiu o cargo em 2012 e anteriormente estava a frente da CBV, não teve oposição e recebeu aprovação de 201 dos 226 delegados votantes para ficar no cargo até 2024.

“Não há limite para a evolução do voleibol, não há limite para o sucesso do desporto e não há limite para o número de pessoas ao redor do mundo que podem se inspirar. Eu prometo ajudar o vôlei a cumprir o seu enorme potencial”, declarou Ary Graça em seu discurso.

Nos bastidores, o que se fala é que a reeleição de Ary Graça ocorreu devido a mudanças nas fórmulas da Liga Mundial e da Copa do Mundo, onde mais seleções foram adicionadas as competições. Além disso, a FIVB se aproximou de mercados antes excluídos, como o asiático, levando para lá etapas e finais de torneios internacionais. Por outro lado, a manutenção de um mesmo nome por 12 anos mostra pouca oxigenação na entidade, assim como a ausência de qualquer oposição.

No mesmo congresso, membros da FIVB discutiram a possibilidade de adequar o tempo das partidas as grades de programação das televisões. Estuda-se realizar alguns eventos-testes com jogos de no máximo 90 minutos, o que se encaixaria no padrão exigido pelas emissoras. Vale lembrar que recentemente as paradas técnicas no 8º e no 16º pontos foram abolidas, dando mais dinamismo aos jogos.

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário