sábado, 22 de outubro de 2016

(Mundial de Clubes) Sada/Cruzeiro vira pra cima do Bolívar e está na final

Atual campeão, o Sada/Cruzeiro está na decisão do Mundial de Clubes 2016. O time celeste venceu, de virada, o Bolívar, da Argentina, por 3 sets a 1, parciais de 21/25, 25/15, 25/15 e 25/19, no ginásio Divino Braga, em Betim, e vai encarar novamente o Zenit Kazan na final. O duelo contra os russos, que passaram pelo Trentino, da Itália, ocorre neste domingo, às 16h15min, e será a reedição do ano passado, quando os comandados de Marcelo Mendez levaram a melhor. 

O ponteiro Rodriguinho abriu o jogo com ponto direto de saque. O Sada/Cruzeiro seguiu à frente, mas o Bolívar deixou tudo igual também com um ace: 3 a 3. O set seguiu equilibrado (6 a 6) e, com mais um ponto de saque de Rodriguinho, o time mineiro abriu 9 a 7. Os cruzeirenses conseguiram pontuar mais uma vez neste fundamento, desta vez com Simón, abriram 11/8, e o Bolívar parou o jogo. O time argentino buscou e o placar voltou a ficar igual em 15/15. O Bolívar passou a frente em 18 a 17 e Marcelo Mendez pediu tempo. A equipe argentina chegou a 23 a 20. No final, o Bolívar fechou em 25 a 21. 

O Sada/Cruzeiro abriu logo 2 a 0 no começo do segundo set. A equipe cruzeirense seguiu pontuando mais e chegou a 8 a 5. No erro do Bolívar, o Sada colocou o dobro de pontos no marcador: 12 a 6. A vantagem mineira aumentou ainda mais e, em boa bola de Evandro, usando técnica e experiência, o placar passou a 19 a 11. No ace de Leal, 22/13. Em uma parcial bem diferente da anterior, o Sada Cruzeiro não enfrentou dificuldades e venceu por 25 a 15. 

No contra-ataque do cubano Simón, o time mineiro fez 4 a 1. Quando o placar foi a 6 a 2, o técnico do Bolívar parou o jogo com pedido de tempo. Bem no saque, o Sada/Cruzeiro chegou a 10 a 5. A vantagem passou a sete pontos em 16 a 9 depois de uma bola bastante disputada. Assim como no set anterior, o time dirigido pelo técnico Marcelo Mendez não teve dificuldades para vencer, mais uma vez por 25 a 15. 

Embalado pela vitória nos dois sets anteriores, o Sada/Cruzeiro entrou com ritmo ainda mais forte na quarta parcial e fez logo 5 a 0. No ace de Evandro, 9 a 2. No contra-ataque de Leal, o time mineiro chegou a 15 a 9. A distância no placar deu tranquilidade ao time do treinador Marcelo Mendez, que fez 21 a 14. No final, vitória por 25 a 19. 

“Há uma tensão em uma semifinal e esse foi um jogo diferente do que tivemos contra o time da Rússia. Demoramos a adaptar ao estilo de jogo deles. Depois que isso passou, entendemos melhor o que eles estavam fazendo e passamos a conquistar os pontos com maior facilidade, inclusive que nem nós esperávamos, já que o Bolívar tem um bom time”, analisou o líbero Serginho. 

Equipes:


Sada/Cruzeiro: William, Evandro, Isac, Simón, Rodriguinho, Leal e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa e Renan
técnico: Marcelo Mendez

Bolívar:
Chirivino, Edgar, Cre, Gauna, Aleksiev, Piá e Gonzalez (líbero)
entraram: Kukartsev, Lucas Ocampo, Patti, Jacobsen e Franetovich
técnico: Javier Weber

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário