domingo, 23 de outubro de 2016

(Mundial de Clubes) Sada/Cruzeiro faz 3 a 0 no Zenit Kazan e conquista o tri

Com o apoio do torcedor, que lotou o ginásio Divino Braga, em Betim, o Sada/Cruzeiro venceu o Zenit Kazan por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/23 e 25/15, conquistando o tricampeonato do Mundial de Clubes. A equipe mineira, que já havia conquistado o torneio em 2013 e 2015, além do título ficou contou com três jogadores na seleção (Evandro, Serginho e Leal) e o MVP (William).

A partida começou com equilíbrio, com as equipes empatando em 4 a 4. No ace de Evandro, o Sada Cruzeiro colocou dois de vantagem: 6 a 4. Na bola de tempo com Isac, o time mineiro fez 10 a 9. O confronto seguiu com grande equilíbrio, com a equipe cruzeirense abrindo dois novamente em 13 a 11. O Sada ainda fez 16 a 13 e, na sequência, chegou a abrir boa vantagem em 20 a 16. Com Rodriguinho explorando o bloqueio adversário, o Cruzeiro marcou 22 a 18. O Zenit Kazan reduziu a diferença em 23 a 21, mas, no erro do adversário, o Sada fechou em 25 a 21.

No segundo set, o Zenit saiu na frente e fez 5 a 3. No ponto de saque de Leon, o time russo abriu 7 a 4 e Marcelo Mendez pediu tempo. O Sada/Cruzeiro reagiu e, com Leal, chegou ao ponto de empate: 7 a 7. No ace de Evandro, 8 a 7. Com mais um ace, dessa vez de Rodriguinho, o time mineiro abriu dois: 10 a 8. O Zenit Kazan buscou e deixou tudo igual depois de bom saque (14 a 14). O set ganhou ainda mais equilíbrio e, no bloqueio de Simón, o time brasileiro fez 19 a 17. A equipe russa voltou a encostar em 21 a 20, mas, no ace de Leal, os cruzeirenses chegaram a 24 a 21. O Zenit mais uma vez reagiu e chegou em 24 a 23, mas Evandro pontuou e fez 25 a 23.

O Sada/Cruzeiro começou melhor o terceiro set e fez 3 a 2. Tudo igual em 6 a 6 e Leal colocou o time brasileiro a frente. No erro do time russo, o Cruzeiro fez 10 a 9. No bloqueio de Simón, o Sada, então, conseguiu abrir dois: 13 a 11. Com Leal, a vantagem passou a ser de quatro pontos (16 a 12). Melhor no set, o time cruzeirense ainda aumentou a diferença no placar (19 a 14), e o Zenit pediu tempo. Na volta, mais um ponto de saque de Leal: 20 a 14. No final, 25 a 15.

“Três títulos de um Mundial de Clubes é muito difícil e fico feliz de estar aqui e poder ajudar a equipe. Entramos desde o começo na preparação para chegar neste momento e agora veio a recompensa de todo o trabalho feito até aqui. Ainda temos muito a melhorar, mas hoje é dia de curtir”, afirmou o central Isac.

“A torcida nos apoiou o tempo todo e eles merecem isso. Foi uma festa linda. Os torcedores acompanham uma equipe fabulosa, jogadores competentes, comprometidos com o trabalho e procuramos festejar com a nossa torcida, que tem um carinho enorme por todos nós”, disse o levantador William.

“Estou muito feliz. Tricampeão do mundo não é para qualquer um e estou feliz com a postura dos jogadores, sempre com uma postura ganhadora. O resultado foi fantástico e o que vem por trás desse resultado é ainda mais”, comentou o treinador Marcelo Mendez.

Na disputa pelo terceiro lugar, depois de muito equilíbrio, melhor para o Trentino, da Itália, que bateu o Bolívar da Argentina, por 3 sets a 2, parciais de 25/22, 23/25, 25/23, 29/31 e 17/15. Completando a seleção do Mundial de Clubes ainda tivemos Leon e Volvich (Zenit Kazan), Crer (Bolívar) e Giannelli (Trentino).

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Evandro, Isac, Simón, Rodriguinho, Leal e Serginho (líbero)
entraram: Renan, Fernando e Léo
técnico: Marcelo Mendez

Zenit Kazan: Butko, Mikhaylov, Anderson, Leon, Ashchev, Volvich e Salparov (líbero)
entraram: Sivozhelez, Kobzar e Gutsalyuk
técnico: Vladimir Alekno

foto: FIVB/Divulgação

Um comentário: