sábado, 3 de setembro de 2016

Desafio de Ouro: Promessa de boa presença de público em Curitiba e Brasília

Como forma de homenagear os campeões olímpicos nos Jogos Rio/2016, a CBV realiza neste final de semana o Desafio de Ouro. No sábado, às 16h, na Arena da Baixada, em Curitiba, e no domingo, às 10h, no estádio Mané Garrincha, a Seleção Brasileira enfrentará Portugal, em amistosos que prometem relembrar a festa realizada em 1983 quando Brasil e URSS se enfrentaram no Maracanã. Até o momento 31.400 ingressos já foram vendidos para o primeiro jogo que terá transmissão do Sportv. 

O Desafio de Ouro será a última chance de os brasileiros assistirem de perto o líbero Serginho, dono de dois ouros e duas pratas olímpicas, com a camisa verde e amarela. O líbero, eleito o MVP dos Jogos Olímpicos/Rio 2016, anunciou sua despedida da seleção após a final olímpica, disputada no dia 21 de agosto contra a Itália, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

Os 12 jogadores campeões olímpicos no Rio e o treinador Bernardinho participarão do Desafio de Ouro. Entre os destaques da equipe brasileira está o ponteiro Lipe, que é natural de Curitiba. O atacante que foi responsável por fazer o ponto de bloqueio que selou a conquista do Brasil espera viver momentos de muita emoção neste sábado. 

“Essa homenagem pela conquista do tricampeonato olímpico me deixa feliz e é ainda mais especial por ser na minha cidade e em um estádio de futebol. Já soube que o estádio estará cheio, o que é incrível, então estou com a melhor expectativa possível. O ouro olímpico ainda não cabe em nós. Esse é um evento mais que especial e acredito que será muito emocionante para todos”, disse Lipe.

Outros campeões olímpicos tentam imaginar como será atuar em um estádio e a primeira imagem que aparece é da partida entre Brasil e URSS. Naquela época, a seleção tinha nomes como Renan, Bernard, William e Montanaro e no ano seguinte ficaria com a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles/1984.

“Nunca joguei em um estádio, mas já ouvi muito sobre 1983. Poder viver o que a Geração de Prata viveu é especial. Em 2014, nós jogamos em uma quadra de tênis contra a Itália, pela Liga Mundial. Era uma arena grande, para 15 mil pessoas, e a céu aberto. Foi tudo novo para a gente, foi um pouco difícil por causa do vento, sofremos um pouco no saque. Mas agora é um jogo festivo, todo mundo poderá curtir bastante, e o mais legal é que será ao lado da torcida”, declarou o central Éder.

“Vi o vídeo desse jogo no Maracanã. Me lembro que choveu e os próprios jogadores ajudaram a secar a quadra. A União Soviética era a grande favorita e o Brasil ganhou o jogo. Vai ser a minha primeira experiência em um estádio de futebol e acredito que será bacana demais”, afirmou o levantador William.

foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário