quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Bento Vôlei cria força-tarefa para viabilizar pró-esporte em 15 dias

A diretoria do Bento Vôlei corre contra o tempo para viabilizar sua participação na Superliga 2016/2017, porém a cada dia que passa a apreensão aumenta. Para se ter uma ideia, mais da metade do orçamento do clube gaúcho para a temporada passa pelo pró-esporte (projeto de lei de incentivo do Estado do Rio Grande do Sul), entretanto a liberação do mesmo está cancelada de forma geral pelo governador Ivo Sartori.

De acordo com o blog Super Vôlei RS, do jornalista Eduardo Pires, a Federação Gaúcha de Vôlei, através de seu presidente Carlos Cimino conversou com representantes da CBV e entre os assuntos tratados no Rio de Janeiro se falou sobre a situação do Bento Vôlei. As duas entidades resolveram buscar junto ao Deputado Adilson Troca (vice-presidente da Assembléia Legislativa e um dos idealizadores do Dia Estadual do Voleibol) uma reunião com o governador gaúcho.

Enquanto isso, o Bento Vôlei, através do presidente Marcos Paulo Machado, do vice Ricardo de Gasperi e do coordenador Rafael Fantin, o Dentinho, reuniu a imprensa para destacar a criação de uma força-tarefa envolvendo políticos, dirigentes e pessoas ligadas ao vôlei para buscar uma resposta do Estado. O prazo de 15 dias foi dado para definir se o clube estará na Superliga 2016/2017, com previsão de inicio para o final de outubro.

“É importante a gente fazer um comunicado oficial do que vem sendo feito, até porque até aqui vínhamos trabalhando nos bastidores. Chegou o momento de envolver a comunidade. Em quatro anos, tivemos muito o apoio popular e o momento é de sensibilização de todos setores. Existe uma possibilidade muito grande de não disputarmos a Superliga se não acabar o impasse do Pró-Esporte”, declarou o presidente do Bento Vôlei, Marcos Paulo Machado.

Vale destacar que o Bento Vôlei foi o melhor gaúcho colocado na edição passada da Superliga, terminando na 6ª posição. De lá pra cá, vários destaques da equipe deixaram o clube, como Rivaldo (Brasil Kirin), Lucas Ocampo (Bolívar), Willian Reffatti (Montes Claros) e mais recentemente Marlon (São Bernardo). O pró-esporte foi suspenso pelo Governo Estadual em agosto devido a fraudes que não estão relacionadas a equipe de vôlei da Serra gaúcha.

foto: Vini Pizzetti/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário