sexta-feira, 12 de agosto de 2016

(Jogos Olímpicos) Saque norte-americano entra e Brasil perde invencibilidade

Pela terceira rodada da fase de grupos dos Jogos Olímpicos Rio/2016, a Seleção Brasileira perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 1, parciais de 20/25, 23/25, 25/20 e 20/25, no ginásio do Maracañazinho. Com o resultado, o time verde e amarelo perdeu sua invencibilidade na competição, mas segue na 2ª posição do Grupo A, com seis pontos. No próximo sábado, os comandados de Bernardinho enfrentam a Itália, líder da chave, com nove pontos.

Lucão abriu o placar do jogo com ponto de bloqueio. Os Estados Unidos viraram e fizeram 4 a 1. Bernardinho pediu tempo. O Brasil buscou e, em boa passagem de Éder pelo saque, o placar ficou igual em 6/6. No ace de Lucarelli, a seleção brasileira virou o set (9 a 8). O time americano voltou a estar na frente em 12 a 11. Com ponto de saque, os Estados Unidos voltam a abrir em 16 a 13. A vantagem adversária passou a 18 a 14 e Bernardinho parou o jogo. E, contando com erros do Brasil, a diferença aumentou ainda mais em 21 a 15. A seleção da casa reduziu em 22 a 18, mas os Estados Unidos fecharam em 25 a 20.

O segundo set também começou melhor para os Estados Unidos, que, assim como no primeiro, abriram 4 a 1. Com ponto de Maurício Borges, o Brasil encostou em 4 a 3. No erro do adversário, a equipe da casa chegou ao empate em 5 pontos. O placar seguiu igual em 9 a 9 e, no bloqueio, a seleção brasileira assumiu o comando do placar (10 a 9). Os donos da casa abriram dois em 15 a 13, mas os americanos voltaram a empatar em 17 a 17. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. Com Éder, o Brasil marcou 20 a 19. No bloqueio de Lucão, 22 a 20. Os Estados Unidos mais uma vez deixaram tudo igual (22 a 22). No final, vitória americana por 25 a 23.

O Brasil saiu na frente no terceiro set e fez 2 a 0. Na sequência, a equipe da casa ainda fez 5 a 1. Com Maurício Borges, a seleção brasileira ainda fez 6 a 2. Com Lucarelli pelo meio fundo, 8 a 4. Os brasileiros chegaram a 10 a 5 e o adversário pediu tempo. No ace de Maurício Borges, 11 a 5. Lucarelli pontuou e o placar foi para 14 a 8. Os americanos diminuíram a diferença para 15 a 12 e Bernardinho parou o jogo. No bom saque de Wallace, a seleção brasileira voltou a aumentar a vantagem: 18 a 12. Mais uma vez os Estados Unidos buscaram e reduziram a diferença no marcador (20 a 16). E o Brasil fechou em 25 a 20.

Os Estados Unidos saíram na frente no quarto set e abriram 4 a 2. Bem na defesa, o time visitante ainda abriu 6 a 2, forçando a seleção brasileira a pedir tempo. O adversário seguiu bem e chegou a 9 a 3. Bernardinho parou o jogo mais uma vez. O Brasil diminuiu um pouco a desvantagem em 10 a 6. E, com Lipe bem no saque, a diferença caiu para 11 a 9. O time visitante pediu tempo. A vantagem americana se manete em dois em 14 a 12. Os Estados Unidos abriram quatro (16 a 12) e, no ace de Lucarelli, a diferença voltou a ser de dois: 16 a 14. Mais uma vez o time visitante abriu em 19 a 14. Na sequência, os Estados Unidos chegaram a 21 a 16 e fecharam o set em 25 a 20.

“Os Estados Unidos fizeram uma grande partida. Estamos em um grupo muito equilibrado e todas as equipes se equivalem. O volume de jogo deles foi impressionante e tivemos dificuldade para rodar as bolas que é o nosso ponto forte. O saque deles também foi eficiente o que não aconteceu nas duas primeiras partidas. Agora já temos que pensar na Itália”, disse o central Lucão.

“Jogamos contra uma equipe que fez o jogo da vida deles. Eles jogaram muito bem e não podemos tirar o mérito da Itália. Nós vamos precisar diminuir o nosso número de erros, principalmente nos contra-ataques. Agora é descansar e depois pensar na Itália”, afirmou o líbero Serginho.

“Eles jogaram muito bem. Sacaram bem o tempo inteiro, medindo a nossa recepção, que poderia ter sido um pouco melhor. Desperdiçamos chances de contra-ataque e isso desmotivou a nossa equipe. Acabou fazendo a diferença no jogo de hoje”, concluiu o ponteiro Lucarelli.

Ainda nesta quinta-feira, pelo Grupo A, a França venceu o Canadá por 3 sets a 0 e a Itália derrotou o México pelo mesmo placar. Já pelo Grupo B, a Polônia venceu a Argentina por 3 sets a 0, a Rússia venceu o Egito também por 3 sets a 0 e pelo mesmo placar o Irã superou Cuba. 

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Éder, Lucarelli, Maurício Borges e Serginho (líbero)
entraram: William, Evandro e Lipe
técnico: Bernardinho

Estados Unidos: Christenson, Anderson, Sander, Russell, Holt, Lee e E. Shoji (líbero)
entraram: Troy e Jaeschke
técnico: John Speraw

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário