quinta-feira, 18 de agosto de 2016

(Jogos Olímpicos) Brasil passa pela Argentina e está na semifinal

Pelas quartas de final dos Jogos Olímpicos Rio/2016, a Seleção Brasileira derrotou a Argentina por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 17/25, 25/19 e 25/23, no ginásio Maracañazinho. Com o resultado, os comandados de Bernardinho vão encarar na semifinal a Rússia, que venceu o Canadá, reeditando a decisão de Londres/2012. Na outra semifinal, os Estados Unidos, que eliminou a Polônia, enfrenta a Itália, que passou pelo Irã.

A partida iniciou com a Argentina sacando forte e abrindo 1 a 3, porém em boa passagem de Maurício Souza, o time verde e amarelo já fazia 3 a 3. O duelo era equilibrado, mas com destaque para a distribuição de De Cecco, os hermanos abriram 5 a 8. Com um saque muito bem colocado de Bruninho, o Brasil encostou no placar: 8 a 9 e na sequência, após ace de Lucarelli veio a virada: 11 a 10. Nenhuma equipe conseguia abrir uma grande diferença (15 a 16) e mesmo com as lesões de Conte e de Lucarelli, o duelo era equilibrado: 18 a 19. Com uma bola de xeque de Lipe, o Brasil abriu 22 a 20 e no final, com erro de saque de De Cecco, os brasileiros fecharam em 25 a 22.

Com a volta de Conte, a equipe de Julio Velasco ganhou um importante reforço no ataque, porém o Brasil tinha Wallace, que não tinha dificuldades para transpor o bloqueio adversário: 4 a 3. Entretanto, os outros atacantes não tinham o mesmo desempenho, o que fez a Argentina abrir boa vantagem 8 a 13, com destaque para o ponteiro Poglajen. Com uma meia batida de Lipe, os donos da casa diminuíram para 12 a 16, porém o volume de jogo adversário era grande: 13 a 18. No final, com um saque muito bem colocado, os argentinos foram segurando o placar até fecharem em 17 a 25.

Com dois bloqueios bem postados, uma bola de xeque e rede do adversário, o Brasil começou forte na terceira parcial: 4 a 0, obrigando Julio Velasco a parar o jogo. Com grandes lances dos dois lados, o que fazia a diferença era o saque brasileiro que colocava pressão na quadra adversária: 10 a 5. Mauricio Borges estava bem na virada de bola e Bruninho aproveitava o momento do ponteiro: 13 a 6. A Argentina tentava reagir, com mudanças no time, porém a vantagem era boa para os donos da casa: 18 a 12. No final, o Brasil seguiu mantendo a diferença e com um toque na rede fechou em 25 a 19.

A Argentina, que precisava vencer para forçar um tie-break, começou melhor na quarta parcial, devido ao bom desempenho do oposto canhoto J. Gonzalez: 3 a 6. Com jogadas pelas pontas, os hermanos conseguiam abrir vantagem: 6 a 9, entretanto, após contra-ataque de Maurício Borges, a diferença caiu: 8 a 9 e na sequência, com uma bola para fora, o placar estava igual: 9 a 9. Bruninho buscava as bolas pelo meio para desafogar Wallace, que era bem marcado, enquanto De Cecco conseguia varias bem as jogadas: 10 a 12. Com Lucarelli em quadra, o Brasil ganhou um gás e no saque de Maurício Souza, o Brasil virou para 14 a 13. A partida era tensa e disputada ponto a ponto, até Wallace virar em um contra-ataque: 20 a 18. Os argentinos conseguiram empatar após bloqueio em Lucão: 22 a 22, mas no final, com inversão do 5-1 e ponto de Wallace, os brasileiros venceram por 25 a 23.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Lipe e Serginho (líbero)
entraram: Maurício Borges, Evandro e William
técnico: Bernardinho

Argentina: De Cecco, Bruno Lima, Conte, Solé, Crer, Poglajen e Alexis Gonzalez (líbero)
entraram: Palacios, Demian Gonzalez, J. Gonzalez e Bruno
técnico: Julio Velasco

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário