terça-feira, 16 de agosto de 2016

(Jogos Olímpicos) Brasil derrota a França e garante vaga nas quartas de final

Brasil e França entraram em quadra, nesta segunda-feira, no Marcañazinho, precisando da vitória para garantir uma vaga na fase seguinte dos Jogos Olímpicos Rio/2016. Como era de se esperar o que se viu foi muito equilíbrio e no final, os brasileiros levara, a melhor, vencendo por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 22/25, 25/20 e 25/23. Com o resultado, a equipe comandada por Bernardinho terminou no 4º lugar do Grupo A e encara a Argentina, que foi a 1ª colocada do Grupo B, nas quartas de final. 

O primeiro set iniciou com a França melhor no saque, principalmente com e Roux, abrindo 1 a 4. O Brasil melhor na virada de bola e logo encostou no placar: 4 a 6. Conseguindo fazer o side-out, a seleção européia fazia 7 a 10. Com um bom trabalho de saque e após ataque de Lucão, os donos da casa empataram em 12 a 12. O equilíbrio era evidente, porém os franceses erravam bastante no saque, enquanto os brasileiros conseguiam ir bem no fundamento e após um bloqueio triplo veio a virada: 17 a 16. O final foi emocionante, com cada bola sendo disputada com afinco, porém com muitos erros do adversário, a Seleção Brasileira fechou em 25 a 22.

Assim como na parcial anterior, a França forçou bastante o saque e abriu 2 a 5, após bloqueio triplo em cima de Lipe. O Brasil buscava se aproximar do placar, mas tinha dificuldades no passe, o que prejudicava a utilização dos centrais nas bolas rápidas de meio: 7 a 10. Após um toque na rede de Lucarelli, os franceses lideravam por 8 a 11, porém o oposto Wallace não deixava o adversário desgarrar e depois de uma diagonal curta: 11 a 12. Entretanto, os comandados de Laurent Tillie tinham mais volume de jogo e mantinha uma boa diferença: 20 a 17. No final, Novamente muita tensão e após ataque de Ngapeth e bom saque de Le Roux, os franceses fecharam em 22 a 25.

Com 1 a 1 em sets, a terceira parcial começou com as equipes tentando errar o menos possível. Cada ponto era jogado com muita intensidade e também com muito falatório das comissões técnicas: 6 a 7. Após bloqueio de Maurício Souza, o Brasil conseguiu a virada e, logo depois, com ataque de Lucarelli fez 16 a 14. Melhor no saque, os brasileiros conseguiam tirar Ngapeth do ataque e o bloqueio cresceu, fazendo 19 a 15. No final, com Lucão sendo destaque, o time verde e amarelo seguiu barrando os atacantes franceses e após Bruninho explorar o bloqueio adversário, o Brasil fechou em 25 a 20.

O quarto set começou também equilibrado, com os dois times forçando muito o saque e buscando seus principais atacantes, no caso Ngapeth e Wallace. A torcida, que lotava o Maracañazinho, apoiava cada momento, mas era difícil qualquer equipe abrir no placar, o que só aconteceu após bola para fora de Lucão: 10 a 13. O duelo era tenso e cada bola no chão era vibração de um lado ou de outro, sendo que o placar em determinado momento marcava 17 a 19. Se por um lado o Brasil explorava bem o bloqueio, por outro erra saque: 19 a 21, porém o mesmo acontecia com o adversário. No final, após a bola para fora de Rouzier, o placar marcava 23 a 23 e na sequência Wallace virou para 23 a 24. E em mais uma bola pra fora de Rouzier, o Brasil fechou em 23 a 25.

“A equipe fez um bom jogo e está de parabéns. É daí para mais. Fizemos o que foi combinado. O apoio da torcida foi sensacional e nos incentivaram em todos os momentos. Foi uma partida que arriscamos mais principalmente no saque”, disse o oposto Wallace.

“O time teve maturidade para reagir e demonstrou atitude. Nossa campanha na primeira fase mudou o sistema para nós e tivemos mais um jogo eliminatório. Agora já estou pensando na Argentina que fez uma grande campanha e está nessa posição por merecimento porque só perdeu uma partida. Demonstramos que trabalhamos muito durante todo o ano e a atitude demonstrada hoje foi diferente”, analisou o técnico Bernardinho. 

O Grupo A terminou com a liderança da Itália, com 12 pontos, seguida de Canadá, Estados Unidos e Brasil, todos com nove pontos. França, com seis pontos, e México, com zero, foram eliminados. Já o Grupo B teve a Argentina como 1ª colocada, 12 pontos, seguida de Polônia (12 pontos), Rússia (10 pontos) e Irã (sete pontos). Egito, com três, Cuba, com zero, foram eliminados. 

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Lipe e Serginho (líbero)
entraram: William e Evandro
técnico: Bernardinho

França: Toniutti, Rouzier, Ngapeth, Le Roux, Tillie, Le Goff e Grebennikov (líbero)
entraram: Rossard e Pujol
técnico: Laurent Tillie

foto: FIVB/Divulgação

Um comentário:

  1. Não entendo Eder no banco e Mauricio titular na posição central....
    Pra começar Eder tem um saque 10x superior.. Na rede faz a mesma coisa, então qual a dúvida?
    Rob.

    ResponderExcluir