sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Bento Vôlei corre o risco de não jogar a Superliga 2016/2017

Mesmo confirmado pela Confederação Brasileira de Vôlei, o Bento Vôlei corre serio risco de não disputar a Superliga 2016/2017. Isso porque, o clube aguarda uma definição do Pró-Esportes RS (programa de incentivo fiscal ao esporte do Rio Grande do Sul), que está suspenso devido a uma investigação do ministério público. No momento, o clima é de apreensão e de expectativa para que tudo se resolva.

“Espero de coração que nosso governador honre com as palavras de apoio ditas no dia em que esteve com a equipe do Bento Vôlei na reta final da Superliga. Com a suspensão recente dos projetos de incentivo ao Estado Pró-esporte RS, a formação de atletas de base e a continuidade do clube na próxima Superliga está seriamente ameaçada. Não somos contra as investigações dos responsáveis! Mas a roda tem q girar! O esporte não pode esperar. Os bons não podem pagar pelos maus”, desabafou o supervisor do Bento Vôlei, Rafael Fantin, o Dentinho, através do facebook.

O que se sabe é que o ministério público instaurou uma sindicância devido a denúncia de que dois servidores receberam propina para aprovar um projeto do Esporte Clube Passo Fundo. A operação ‘mala preta’ não tem prazo para terminar e por conta disso o Pró-Esporte RS está suspenso. Para complicar ainda mais a situação, a secretaria de turismo, esporte e lazer está a cargo do interino Victor Hugo Alves da Silva, já que Juvir Costella se afastou para ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

“Quando falamos de dificuldades em esporte, em plena Olimpíada no Brasil, o governo do RS tranca a única luz que ainda resta ao esporte local. Nosso Bento Vôlei está seriamente comprometido e com ele quase todas as modalidades esportivas do Estado. Ou este ato é revogado pelo governador ou será o fim de mais um time profissional. Espero que nossas 700 crianças e nossos atletas não paguem por erros e decisões equivocadas”, afirmou o presidente do Bento Vôlei, Marcos Paulo Machado.

A equipe gaúcha já captou cerca de R$ 600 mil junto ao programa, que concede benefícios fiscais do ICMS para empresas que patrocinam projetos esportivos. Sem essa verba, a participação na Superliga e até mesmo a manutenção das categorias de base ficam ameaçadas. O time está confirmado no Campeonato Gaúcho, pois ainda recebe os valores relativos ao contrato do Pró-Esporte de 2015.

foto: Enio Bianchetti

Nenhum comentário:

Postar um comentário