domingo, 17 de julho de 2016

(Liga Mundial) Brasil sofre no passe e Sérvia fica com o título

Na grande decisão da Liga Mundial, a Seleção Brasileira perdeu para a Sérvia por 3 sets a 0, parciais de 22/25, 22/25 e 21/25, na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia. Desde o começo da partida, o adversário sacou muito bem e atrapalhou o passe dos brasileiros, fazendo com que Bruninho quase sempre trabalhasse com bolas nas pontas. Os comandados de Bernardinho ficaram com o vice-campeonato, enquanto a equipe européia conquista pela primeira vez o título.

A Sérvia abriu o placar do jogo. Wallace foi o primeiro a pontuar para o Brasil. Os sérvios fizeram 4 a 2. Com dois bloqueios seguidos de Maurício Souza, a seleção brasileira assumiu o comando do marcador em 6 a 5. A Sérvia voltou a pontuar e fez 8/6. Os brasileiros buscaram e empataram em 10 a 10. O set esteve novamente igual em 13 a 13, mas, contando com erros do Brasil, a Sérvia abriu cinco em 18 a 13. Bernardinho pediu tempo. O adversário se manteve na frente em 20 a 15. Com Wallace no ataque e Lucarelli no ace, o Brasil diminuiu a diferença para 20 a 17. Lucarelli em um belo ponto de contra-ataque aproximou a seleção brasileira no placar 22 a 20, mas a Sérvia voltou a pontuar e fez 24 a 20. Maurício Borges pontuou duas vezes e o set foi para 24 a 22. No final, melhor para a Sérvia, que fechou em 25 a 22.

Os sérvios abriram 2 a 0 no começo do segundo set. O time brasileiro empatou em 3 a 3. O adversário abriu dois de diferença em 6 a 4 e três em 8 a 5. A vantagem sérvia foi a 11 a 7. Wallace pontuou bem e fez 11 a 9. No bloqueio de Wallace, o Brasil empatou em 12 a 12. A parcial seguiu equilibrada até a seleção da Sérvia abrir dois (16 a 14) e logo depois, quatro: 18 a 14. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. No erro do Brasil, a Sérvia fez 20 a 15. Com dois bons saques de Bruno, a seleção brasileira fez 20/18 e o adversário parou o jogo. No bloqueio de Lipe, o Brasil encostou (21 a 20), mas a Sérvia fechou em 25 a 22.

Assim como no set anterior, a Sérvia abriu 2 a 0. No bloqueio de Éder, o Brasil deixou tudo igual: 3 a 3. Os sérvios voltaram a abrir vantagem em 6 a 3 e Bernardinho pediu tempo. Em boa passagem de Bruninho pelo saque, o time brasileiro encostou em 7 a 6. No bloqueio de Lipe, o empate em 8 a 8. No ace do adversário, o placar ficou favorável em dois pontos para a Sérvia: 11 a 9. A diferença passou a cinco em 16 a 11. No ace de Éder, o Brasil reduziu a desvantagem para 16 a 13. Com ponto de bloqueio, os sérvios chegaram a 20 a 15 e depois a 22 a 17. Wallace marcou no saque (22 a 19) e a Sérvia pediu tempo. Os sérvios fecharam em 25 a 21.

“Cometemos mais erros do que o normal e sofremos uma pressão enorme desde o início, principalmente no saque. Nós fomos cometendo muito erros e isso foi minando a confiança do nosso time. Eles defenderam muito bem e colocaram uma energia muito grande em quadra. Com isso, cresceram e ganharam muita confiança”, afirmou o levantador Bruninho.

“Não vai ser fácil o nosso caminho. Depois de uma final como essa, uma série de coisas virão. O lado positivo é que foi agora. Temos que aprender com isso, seguir em frente, nos fortalecer. Sabemos que vamos sofrer para conquistar o que queremos e essa é uma lição que tempos que aprender. A partida de hoje foi dura, difícil e as coisas não aconteceram da forma como gostaríamos”, disse o técnico Bernardinho.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Lucão, Éder, Lucarelli, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: William, Evandro, Lipe e Éder
técnico: Bernardinho

Sérvia: Lisinac, Kovacevic, Luburic, Podrascanin, Ivovic, Jovovic e Majstorovic (líbero)
entraram: Nikic
técnico: Nicola Grbic

foto: FIVB/Divulgação

5 comentários:

  1. Não há que arranjar desculpas pela derrota do Brasil hoje, do jeito que os sérvios jogaram ninguém venceria deles hoje. Os sérvios beiraram a perfeição, ganhou quem errou menos e os sérvios praticamente não erraram hoje, foram 11 erros sérvios contra 24 dos brasileiros. Os erros brasileiros ocorreram principalmente devido ao excelente saque sérvio. Hoje os sérvios não fizeram 20 aces, mas quebraram o passe brasileiro várias vezes prejudicando a armação do ataque brasileiro e facilitando o sistema defensivo sérvio. Parabéns aos sérvios pelo Ouro e aos brasileiros pela Prata. O Brasil foi muito bem durante toda a Liga Mundial, mas hoje estava impossível ganhar dos sérvios e valorizo muito a Prata por tudo que o Brasil jogou contra Itália, França e EUA, esses sim adversários olímpicos ficaram para trás! Enfim, a Sérvia seria uma séria candidata ao Ouro olímpico, mas não estará no Rio e o positivo disso tudo é que o Brasil está a frente de todos os adversários olímpicos!

    ResponderExcluir
  2. Acho que o Bernardinho já deu o que tinha que dar, tem que largar o osso dar espaço pra oxigenar o vôlei masculino brasileiro; desde que o Bruninho foi efetivado como levantador não lembro do brasil ganhar nenhum título importante; acho que uma liga mundial não tenho certeza; há tempos estamos perdendo todas olimpíadas, campeonatos mundiais, até pan americanos; Não dá mais pro Bruninho; O William é campeão de tudo com o Sada Cruzeiro, bi campeão mundial contra equipes russas fortíssimas; mas não joga em São Paulo ou Rio de Janeiro, não pode ser titular? A teimosia do Bernardinho é tão grande que para manter o Bruno no time, abre mão do entrosamento do William com Wallace, Eder, Isac, Mauricio Borges, todos jogadores que estão ou passaram pelo Sada Cruzeiro e jogaram muito tempo com William; o William é vencedor enquanto Bruninho é escalado pela mídia do eixo Rio/São Paulo, juntamente com Lucão (fraco) e Serginho (aposentado); vamos perder de novo a olimpíada com os erros do Bernardinho e a convocação errada da seleção. Bruninho treme nas finais. Infelizmente.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Observandotudo, o William nunca tem a oportunidade de jogar com o Wallace e com a base do Sada Cruzeiro que está na seleção!! Qual técnico que usufruiria deste benefício? Bernardo empurrou Bruno guela abaixo de todos de forma nepotista e fazendo uso de seu poder na seleção. Deu no que deu. Sem títulos há anos. Bruno há muitos anos não sabe levantar para a entrada de rede. Pode ter o melhor jogador lá, ele vai complicar o cara. Por isso que joga tanto com o meio. Tenho dito isso há anos. Lucão é uma piada. Tinha que ter saído junto com o Vissoto, mas segue intocável. E Murilo, nosso melhor passe, quem de fato poderia ter feito diferença, nem escalado foi. Assim como Lucarelli em Londres, um dos nossos melhores atacantes, assistiu de fora àquele desastre na final contra a Rússia. Mas bem feito para o Bernardinho, que cortou o Ricardinho no auge e boicotou a carreira do rapaz para colocar seu filho. Coisa de brasileiro mesmo. O resultado tá aí. Resgatou a geração de prata de volta.
    E sai todo nervozinho para o vestiário quando perde. Muito deselegante. Vai ser lindo perder no Rio. Nível mundial não é Superliga.

    ResponderExcluir
  4. Faltou sensibilidade à bernadinho, não percebeu que lucareli estava muito mal, tenso e nervo!! Na ótica do treinador o lucareli é insubstituível e isso prejudicou o time.Ele deveria fazer como Zé Roberto da seleção feminina, Fernanda Garai a melhor jogadora do Brasil tava mal na recepção ele a tirou e com isso melhorou a recepção e o Brasil ganhou o set! No outro set ele retornou com a Garai.Era isso que Bernadinho tinha que ter feito, tirar o lucareli, acalma-lo e depois retornar com ele, essa é a minha humilde opinião!!.

    ResponderExcluir
  5. Faltou sensibilidade à bernadinho, não percebeu que lucareli estava muito mal, tenso e nervo!! Na ótica do treinador o lucareli é insubstituível e isso prejudicou o time.Ele deveria fazer como Zé Roberto da seleção feminina, Fernanda Garai a melhor jogadora do Brasil tava mal na recepção ele a tirou e com isso melhorou a recepção e o Brasil ganhou o set! No outro set ele retornou com a Garai.Era isso que Bernadinho tinha que ter feito, tirar o lucareli, acalma-lo e depois retornar com ele, essa é a minha humilde opinião!!.

    ResponderExcluir