quarta-feira, 8 de junho de 2016

Voleisul e Maringá confirmam fusão para disputa da temporada 2016/2017

Após algumas reuniões, as diretorias de Voleisul/Paquetá Esportes e Copel Telecom/Maringá confirmaram uma fusão visando a temporada 2016/2017. Pelo combinado, a equipe segue tendo a cidade de Novo Hamburgo como sede até o mês de outubro, disputando assim o Campeonato Gaúcho. Na sequência, o time se transfere para a cidade paranaense de olho na Superliga 2016/2017, mandando todos os seus jogos no ginásio Chico Neto.

O acordo entre os dois clubes foi a solução encontrada pela direção da Voleisul/Paquetá Esportes para as competições da temporada, em virtude da falta de investimento de outros apoiadores. Nos últimos meses, o time gaúcho buscava novos patrocinadores, que viabilizassem o projeto, mas as parcerias não vieram no volume necessário para que uma equipe competitiva fosse montada. Em contrapartida, o Copel Telecom/Maringá, que acabou rebaixado na última Superliga, queria seguir na elite e já tem orçamento fechado para a temporada.

“Estamos muito felizes com essa parceria com a Voleisul/Paquetá Esportes. Enxergamos atrás da montanha a oportunidade de nos unirmos nesse momento e fazer acontecer o voleibol das duas cidades. Todos nós já somos vitoriosos com essa parceria. Meu muito obrigado a toda diretoria da Voleisul que acreditou nesse projeto unificado. Agora é olhar para frente, montar um novo time e continuar”, destacou Ricardinho, que além de levantador é o presidente do Maringá Vôlei.

“Durante todo este tempo ficamos no aguardo de alguma solução para que a parceria com o município pudesse ser efetivada, pois nas diversas vezes que tentamos não obtivemos sucesso. Porém, este apoio não veio e lamentamos o descaso em não termos sido recebidos para buscar viabilizar algum apoio. O momento econômico atual também não favoreceu para as empresas investirem no projeto. Esperamos em breve poder trazer novos eventos para Novo Hamburgo com uma maior participação dos empresários e políticos locais, que são os grandes responsáveis por proporcionar projetos deste porte. Aproveitamos a ocasião para mais uma vez enaltecer o povo dessa maravilhosa cidade que respira esporte, em especial o voleibol, para agradecer os muitos torcedores que doaram sua energia, sua paixão e, principalmente, seu carinho a todos os participantes do projeto. Desejamos contar com todos vocês até a última bola do campeonato gaúcho deste ano, quem sabe com um título para coroar todo o trabalho realizado”, declarou Gilson Alves Bernardo (o Mão de Pilão), um dos idealizadores do Voleisul.

foto: Divulgação

2 comentários:

  1. HEHEHEHEHEHEHEHE. E a CBV??? Nao vai intervir né? Claro que nao! Eles querem o dinheiro somente.
    RIDICULO AS EQUIPES SE JUNTAREM. O correto é o Maringa jogar a B e voltar por merito.
    O voleibol Brasileiro etsa cada vez pior, cada vez mais PODRE e enquanto os GRANDES JOGADORES continuem ganhando dinheiro, nada vai mudar.
    PARABENS AOS ENVOLVIDOS... pela tamanha malandragem!

    ResponderExcluir
  2. Não vejo malandragem. O Voleisul não iria disputar a superliga por não ter condições financeiras. Sendo assim, a vaga, automaticamente, ficaria com Maringá devido ter ficado em 11° lugar na superliga e 2° no torneio classificatório. O Voleisul ganha com a parceria porque terá condições de disputar o campeonato gaúcho. Até agora, apenas 7 equipes confirmaram participação na superliga 2016/2017 e se não confirmarem, as vagas irão para outras equipes que tenham condições financeiras. Ruim seria uma superliga com apenas 6 times.

    ResponderExcluir