segunda-feira, 13 de junho de 2016

Sem apoio, São José Vôlei desiste de disputar a Superliga 2016/2017

Nesta segunda-feira, de maneira oficial, a diretoria do São José Vôlei confirmou que não participará da Superliga 2016/2017. Depois do corte de verba anunciado pela prefeitura alegando impossibilidade em manter o repasse para o esporte, os diretores da equipe tentaram buscar recursos no setor privado para viabilizar a permanência na elite nacional, porém não houve parceria suficiente para manter o time na competição.

“Lamentamos muito abdicar da equipe de alto rendimento e da competição. Nos últimos anos definimos um planejamento estratégico para a sustentabilidade da equipe. Desde então, trabalhamos de forma incessante na busca por parceiros. Percorremos um caminho de muita dificuldade, mas alcançamos, aos poucos, parceiros que acreditavam no esporte. Não conseguimos a totalidade dos recursos para manter o time 100% pela iniciativa privada, mas fizemos parcerias muito importantes, que se mostraram interessadas em apoiar também nesta temporada. Mas, infelizmente, as contribuições ainda eram insuficientes para manter a equipe”, afirmou o gestor da equipe, Fernando Basílio.

O São José Vôlei chegou a elite nacional após conquistar o título da Superliga B 2014, porém não fez uma boa Superliga e acabou tendo que disputar uma seletiva, onde sagrou-se campeão. Na temporada 2015/2016 foi semifinalista do Campeonato Paulista e chegou aos playoffs da Superliga perdendo para o Sada/Cruzeiro, que se tornaria campeão.

“Montamos uma equipe competitiva para a última temporada, com jogadores experientes, com o objetivo de atrair patrocinadores e estávamos no caminho certo. Crescemos muito nos últimos anos e cumprimos todas as metas que estabelecemos. Eram metas modestas, de um time modesto, se comparado à estrutura dos demais times, mas alcançamos a todas. Chegamos à semifinal do Paulista e ficamos entre os 10 primeiros da Superliga com orçamento muito inferior a outros times como Sesi-SP e o multicampeão Sada/Cruzeiro, equipes que encaramos em momentos decisivos das competições. Terminamos a temporada satisfeitos com o resultado em quadra. O que nos faltou foi recurso financeiro e isso não foi possível alcançar em sua totalidade, mesmo com todos os esforços”, disse o dirigente, que falou sobre o futuro do projeto.

“Chegamos até aqui com muito trabalho e toda a jornada que percorremos nos mostra que não podemos desistir do projeto e que é possível reconstruir. Escrevemos uma história importante com o voleibol na cidade e estamos dispostos a viver tudo de novo para mais uma vez chegarmos à elite do esporte. Hoje a categoria de base se espelha no que viu na última temporada: craques do voleibol defendendo a nossa camisa e é nossa responsabilidade possibilitar que esses meninos também trilhem esse caminho no esporte e, por tudo isso, vamos seguir trabalhando”, completou Fernando Basílio, lembrando que o São José Vôlei continua com o apoio do Fadenp para as equipes de base e a expectativa é que consiga se reerguer para a próxima temporada.

“Compreendemos a posição da prefeitura e agradecemos o apoio oferecido até aqui. Também agradecemos muito a todos os parceiros que tornaram possível a última temporada. Sem esse apoio nem mesmo a temporada 2015/2016 seria possível. Nossos objetivos agora estão ainda mais pautados em atrair parceiros da iniciativa privada e recomeçar”, enfatizou o gestor do time.

foto: Divulgação

3 comentários:

  1. Aí cbv
    Até quando?

    ResponderExcluir
  2. O que a CBV tem a ver com a crise no país???

    ResponderExcluir
  3. Gestão feita por gente despreparada, que dependeu única e exclusivamente de recursos públicos que caíram no colo por anos. Quando foram exigidos a trabalhar, está i o resultado incapacidade nas escolhas técnicas e administrativas. Em um momento que e discute as qualidades de ex-atletas e pessoas que se preparam para dirigir, um projeto dirigido por gente que nunca entrou em uma quadra de vôlei e menos ainda se preparou para gerenciar , só podia apesar dos esforços de muita gente comprometida e capaz, terminar como terminou.

    ResponderExcluir