terça-feira, 10 de maio de 2016

Orçamento dos clubes gaúchos depende da Lei de Incentivo do Estado

Em meio à efervescência do mercado de transferências muitos podem se perguntar por que as equipes gaúchas não estão anunciando nenhum jogador para a temporada 2016/2017. O motivo é simples, pois os clubes (Bento Vôlei, Voleisul e Vôlei/Canoas) dependem grande parte de seu orçamento a Lei de Incentivo ao Esporte do Estado do Rio Grande do Sul (Pró-Esporte), que destina parte do imposto de renda de empresas para projetos esportivos.

No ano passado, devido a muitas incertezas o Pró-Esporte chegou a ser ameaçado, tanto que a Voleisul acabou garantindo seu orçamento nos minutos finais, correndo o risco de perder seus apoiadores. Atualmente se fala que o Governo do Rio Grande do Sul não atrapalhará as renovações dos projetos e que isso pode ocorrer bem antes de agosto, quando as equipes já estariam atrás no quesito montagem de elencos.

Por outro lado, os dirigentes dos clubes estão trabalhando diariamente para renovar com parceiros atuais e buscar novos apoios, seja utilizando o Pró-Esporte ou como investidor direto. Algumas empresas têm interesse em ver seus nomes vinculados com o voleibol, ainda mais em ano olímpico, porém era interessante ver o governo gaúcho acelerar o processo para que os clubes possam trabalhar com tranquilidade e sem pressa.

Como ocorre na maioria das equipes, após o término da temporada 2015/2016 todos os atletas e comissão técnica foram liberados para caso tenham alguma proposta possam se transferir. Entretanto, os dirigentes acabam conversando sobre a possibilidade de permanência e alguns jogadores preferem esperar, já conhecendo clube e estrutura, antes de fechar com qualquer outro time. No caso de contratações, isso também ocorre, porém nada que possa ser firmado no papel.

foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário