terça-feira, 24 de maio de 2016

Brasil derrota mais uma vez a Eslovênia no ginásio Tancredo Neves

Na segunda partida do Desafio de Vôlei, o Brasil, como já tinha acontecido no último sábado, derrotou a Eslovênia por 3 sets a 1, parciais de 22/25, 25/21, 25/21 e 25/17, no ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros. Neste segundo jogo, o treinador Bernardinho optou por começar com uma formação quase totalmente diferente do primeiro, com o objetivo de dar ritmo de jogo a todo o grupo que vem treinando no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema, há quatro semanas.

Evandro abriu o placar do jogo a favor do Brasil. A Eslovênia, no entanto, assumiu o comando do placar em 3 a 2. A seleção da casa, então, passou a frente e, no bloqueio de Raphael, fez 7 a 6. Os eslovenos voltaram a pontuar e, bem no saque, colocaram dois de vantagem (12 a 10). Bernardinho pediu tempo. Na volta, ainda com Gasparini pontuando no saque, a Eslovênia chegou a 14 a 10. O treinador brasileiro pediu mais um tempo. O Brasil voltou a encostar no placar em 18 a 19. Mas, a Eslovênia não permitiu maior reação da equipe da casa e, com dois bloqueios seguidos, fez 22 a 18. No final, melhor para os eslovenos, que fecharam em 25 a 22.

Melhor no começo do segundo set, o Brasil fez 3 a 0 e forçou o adversário a pedir tempo. O time da casa conseguiu boa consistência no bloqueio e fez 6 a 2. Mas, a Eslovênia chegou ao ponto de empate em 6/6. Com Evandro, depois de bom levantamento de Raphael, a seleção brasileira assumiu o placar em 11 a 10. Maurício Souza, bem no bloqueio, fez o ponto que marcou 16 a 12 para o Brasil. A Eslovênia aproximou (15 a 17) e Bernardinho parou o jogo. A vantagem seguiu em dois pontos em 20 a 18. A equipe brasileira seguiu melhor e, com Evandro, fechou em 25 a 21.

O terceiro set teve um início equilibrado, com as equipes empatando em 3 a 3. O Brasil foi para o primeiro tempo técnico em vantagem (8 a 6). No ponto de bloqueio de Douglas, o placar foi para 11 a 7. Mais uma vez, os eslovenos buscaram o placar e deixaram tudo igual em 12 a 12. Na sequência, ainda fizeram 14 a 12. Em boa passagem de Douglas no saque, a seleção brasileira fez 15/14. Com ponto de saque de Maurício Souza, o Brasil chegou a 18 a 15. A parcial voltou a ficar equilibrada em 19 a 18. Lipe entrou para sacar e, com ace, levou o Brasil a 23 a 19. No final, melhor para a equipe da casa, que fechou em 25 a 21.

Em boa passagem de Raphael pelo saque, o Brasil abriu 3 a 0 no começo do quarto set. A Eslovênia reagiu e quando encostou em 5 a 4, Bernardinho pediu tempo. Os adversários ainda fizeram 8 a 6. Com Douglas bem no saque, a seleção brasileira chegou a 11 a 8 e foi a vez do técnico da Eslovênia, Giani, pediu tempo. A equipe da casa manteve o bom ritmo e fez 16/11 no segundo tempo técnico. No bloqueio individual de Sidão, 17 a 11. A vantagem se manteve em 21 a 16. Com dois pontos de saque seguidos de Douglas, 24 a 16. E, no final, vitória por 25 a 17.

“A torcida de Montes Claros é uma das maiores do Brasil e estou muito feliz por ter tido a oportunidade de jogar aqui, com a camisa a seleção brasileira. Hoje, não estive muito bem no ataque, que é um fundamento onde me sinto mais confortável, e tinha que compensar de algum jeito para ajudar a equipe. Consegui ir bem no saque e, depois de receber a ordem do banco, soltei o braço e deu certo”, disse o ponteiro Douglas.

“Estou realmente emocionado. Depois de tudo que passei, praticamente um ano fora das quadras e hoje não tem explicação. É um prazer enorme poder jogar novamente com a seleção brasileira. A vontade que eu estava de poder vivenciar isso novamente. Hoje foi mais um objetivo que completei depois de uma cirurgia e estou muito feliz. Agora, que venham outros objetivos”, afirmou Sidão.

“O time teve altos e baixos, o que é natural. Primeiras partidas da temporada, alguns jogadores voltando agora, e ainda estamos fazendo um trabalho muito de base. Nas duas partidas, começamos sofrendo um pouco, mas depois o time foi se ajustando, se acertando durante as partidas. Foi um bom teste, importante estar aqui, com essa torcida, em um ginásio grande, contra um time que saca pesado, então, sem dúvida, foram bons testes”, disse o técnico Bernardinho.

Equipes:

Brasil: Raphael, Evandro, Sidão, Maurício Souza, Maurício Borges, Douglas e Serginho (líbero)
entraram: William, Wallace e Lipe
técnico: Bernardinho

Eslovênia: Pajenk, Sket, Gasparini, Vincic, Koncilja, Urnaut e Kovacic (líbero)
entraram: Ropret, Klobucar e Stem T.
técnico: Andrea Giani

foto: Celio Messias/inovafoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário